Acessibilidade
8 de novembro de 2017 19:29

Aluna fotografa em ação humanitária crianças com lábio leporino

Fotografar as missões da ONG que levam nova vida para crianças com fenda palatina e lábio leporino é a tarefa desenvolvida pela aluna de Fotografia

Imagine fazer parte da transformação na vida de crianças que passaram por cirurgia de correção de lábio leporino. A ação humanitária, desenvolvida pela ONG Operação Sorriso, despertou na aluna de Fotografia, Edilaine Paiva, a vontade de unir o que mais ama, registrar momentos, com a missão de levar alegria e afeto a crianças que precisam de ajuda.

“Eu tinha um irmão que nasceu com síndrome de down. Foi após o nascimento dele que passei a conhecer mais e ver o quanto existem crianças que precisam de ajuda. Participei de um outro projeto que trabalhava esse lado da inclusão social através da fotografia. E quando conhecia a Operação Sorriso me encantei com o trabalho deles e quis logo participar”, diz a aluna de Fotografia.

Laine, como gosta de ser chamada, atua  junto aos mais de 350 voluntários da ONG, que realizam cirurgias gratuitamente em crianças com fenda palatina e lábio leporino desde 1997 no Brasil. A ação desenvolvida pela entidade tem um papel que vai além da tarefa de realizar cirurgias em crianças, mas levar afeto para as crianças e desenvolvimento saudável, além de proporcionar a autossuficiência nos locais para realizar o tratamento, por meio de treinamento dos profissionais.

No Brasil, segundo dados de pesquisa realizada pelo Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho), da Universidade de São Paulo (USP), a cada 650 nascimentos, um tem a incidência da fenda e apenas 28 hospitais no país fazem o atendimento especializado para o tratamento das fissuras.

Diante de tantos desafios aos missionários realizam essas atividades em várias cidades do país e em mais de 60 países. “O sentimento que motiva é o afeto. O poder de fazer o bem para alguém e eternizar através das fotos esses momentos especiais para que todos possam conhecer e ver como um pouco da nossa ajuda é muito para crianças que precisam”, destaca Laine.

As fotos tiradas pela a estudante de Fotografia serve como registro das missões realizadas pelas ONG e ajudam na divulgação, com o intuito que mais pessoas conheçam o projeto e possam contribuir para a expansão.