Acessibilidade
17 de dezembro de 2015 11:57

Aluno de Odontologia é selecionado como Estudante do Bem em 2015

Fazer o bem e ser retribuído com o sorriso de uma criança. Assim se resume um dos trabalhos realizados por Ericlene Farias, aluno da 6ª série do curso de Odontologia da Universidade Potiguar, integrante da rede Laureate. Ele foi selecionado pela rede mundial de voluntariado Turma do Bem, dentro do projeto Dentista do Bem, como finalista na premiação “Estudante do bem”.

A Turma do Bem é uma organização da sociedade civil de interesse público, fundada no Brasil em 2002, que tem como objetivo difundir questões relacionadas a saúde bucal e conscientizar a população sobre o impacto socioambiental da atividade odontológica. Como uma das ferramentas para ampliar a divulgação do seu trabalho, a entidade realiza anualmente o concurso Estudante do Bem, através do qual oferece aos estudantes de odontologia uma oportunidade de conhecer e realizar algum trabalho que envolva a saúde bucal da população brasileira.

O Estudante do Bem, Ericlene Farias, conta como alcançou esse reconhecimento. “Conheci a rede de voluntariado através de uma ação realizada em 2014, sob o comando da coordenadora regional Carolina Queiroz, e alguns dentistas da rede. Carolina me falou sobre a organização, e me explicou que como Dentista do Bem não poderia atuar, pois eu não sou formado ainda, porém existia um projeto para acadêmicos, um concurso que é feito todo ano, em que é possível agir fazendo denúncia do descaso da saúde bucal no nosso estado e no Brasil, através de relatos de casos e dados impactantes. Com isso, montamos um banner e enviamos para a sede da organização, em São Paulo, esses trabalhos são avaliados por uma equipe, e são escolhidos os finalistas do ano”, explicou o estudante.

Ao conhecer o projeto, Ericlene ficou motivado com a possibilidade de ajudar a sociedade de alguma forma. “Saber que posso fazer muito pelas pessoas que não sabem que têm direito a um cirurgião-dentista é estimulante. Acredito que ser dentista é mais do que implantar dentes, fazer restaurações, endodontia, é ser um profissional que conhece os problemas da sua própria região e que pode fazer a diferença. Vejo na organização a chance de ajudar jovens de baixa renda a serem dignos de sorrir, dentro de um contexto no qual a saúde bucal nunca foi prioridade no Brasil, e sem saúde ninguém desfruta de progresso algum”.

Em 2015, o aluno da UnP deu seu melhor ao elaborar um banner relatando a realidade da saúde bucal na cidade do Natal. Orientado pela professora Adriana Costa Souza Martins Câmara, ele ficou entre os finalistas e foi titulado como o “Melhor Estudante do Bem”, com mérito de trabalho de pesquisa em 2015, sendo contemplado com um equipo odontológico. “Os dados do trabalho foram coletados durante a triagem feita pela Turma do Bem no CRAS – Centro de Referência de Assistência Social, quando foram examinados jovens de baixa renda. A jovem M.D.G. foi a que mais me chamou atenção, 13 anos de idade, cursando o 6º ano do Ensino Fundamental e vivendo uma situação bastante constrangedora no seu cotidiano, inclusive no ambiente escolar, por causa da sua condição de saúde bucal. A jovem faz parte dos 20% dos brasileiros que não vão ao dentista por falta de dinheiro, dos 46% das pessoas que consideram difícil o acesso ao dentista, e principalmente, dos 68% que não sabem que tem direito ao atendimento público de saúde bucal”, disse.

Agora, com o título de Estudante do Bem, Ericlene tem o compromisso de motivar alunos a participarem do projeto, cadastrando estudantes e profissionais interessados em contribuir com projeto visando melhorar a saúde bucal no país.