Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

30 de setembro de 2014 19:21

Alunos de Direito testam conhecimento em júri simulado

Com o propósito de inovar no ensino da Prática Jurídica, a Escola do Direito da Universidade Potiguar realizou na tarde da terça-feira (30) o VI Concurso de Sustentação Oral, na sede da Justiça Federal. Dez alunos que cursam entre a 7ª e a 10ª série apresentaram uma defesa oral para um tribunal formado pelos convidados Sérgio Freire, Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil/RN; Wagner Krienger, Defensor Federal; Marco Bruno, Juiz Federal; e Cibele Benevides, Procuradora da República.

A proposta do concurso é expor aos alunos a um caso fictício, para o qual eles devem desenvolver uma defesa com antecedência, e posteriormente apresentar a sustentação oral no auditório, para autoridades e para um público composto por alunos, professores e convidados. De acordo com a Coordenadora da Prática Jurídica da UnP, Prof. Marília Almeida, o Concurso tem como objetivo proporcionar aos alunos a realidade da profissão, que vai exigir disposição e coragem para apresentações públicas e diante de autoridades, como acontece na Sustentação Oral.

Cerca de 300 pessoas acompanharam o Concurso, ocupando o Auditório Ministro José Delgado e o Salão Nobre Araken Mariz da sede da Justiça Federal, em Natal. Além dos alunos que apresentaram a defesa, outros estudantes do Curso de Direito compareceram ao evento para assistir e analisar a prática. Para a Coordenadora Acadêmica, Prof. Ana Rachel, o Concurso é uma inovação do ensino, um novo formato de expor o aluno do Curso de Direito da UnP ao ambiente de atuação profissional que ele passa a frequentar quando formado, proporcionando familiaridade com as autoridades e todo o contexto da profissão.

Para o aluno do 8º período, Saulo Ramom, primeiro a apresentar sua sustentação oral à banca, além da importância de colocar na prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, é muito válido ter a oportunidade de estar de frente para autoridades expondo o trabalho fruto de seus estudos, e aprendendo como se portar dentro de um tribunal. A aluna Vanessa Silva Alves, que participa do Concurso pela terceira vez, acredita ser de extrema importância essa oportunidade de treinar o que se aprende em sala de aula, e acrescenta que todos os alunos devem participar, pois só têm a ganhar. Camilo Santos, aluno do 6º período, afirma que assistir a essa atividade é uma boa forma de ir perdendo a timidez, e conclui “a gente só aprende praticando”.

A Universidade Potiguar é a única Instituição de Ensino Superior que aplica essa atividade no Curso de Direito. O Concurso faz parte de uma proposta acadêmica que tem como objetivo estimular o aprendizado com situações práticas. “A UnP é pioneira nessa ação tão importante para a formação dos profissionais do Direito. Ter domínio sobre a Sustentação Oral de uma tese jurídica é fundamental para o sucesso desses profissionais”, afirmou o Prof. Fernando Cabral, Diretor da Escola do Direito UnP.