Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

13 de Março de 2018 09:51

Apenado supera desafios na prisão e se torna 1º graduado na família

Uma vida que teve uma segunda chance através da educação. O presídio, que para muitos é um lugar sem expectativa de vida, foi para João Batista uma oportunidade de mudar sua realidade e de focar nos estudos. Preso desde 2013, um ano depois deu início à sua jornada no aprendizado, concluindo o Ensino Fundamental e, posteriormente, o tão sonhado Ensino Superior. No dia 27 de fevereiro, João recebeu o diploma de graduação em logística a distância pela UnP, curso que é oferecido pelo EAD Laureate, a educação a distância das instituições da Rede Laureate no Brasil, da qual a UnP faz parte. Os desafios encontrados dentro de uma penitenciária não o fizeram desistir do sonho de buscar conhecimento e mudar de vida.

Francisca Gomes, agente penitenciária e especialista em Educação a Distância e Prisional, é a responsável pelas atividades do Núcleo de Ressocialização da Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania do RN (SEJUC), e por fazer a intermediação entre a UnP e Penitenciária Estadual do Seridó, conta que o processo de aprendizagem de João começou por meio do projeto Educando para Liberdade.

“Ele só tinha o 5° ano do Ensino Fundamental. Concluiu em 2015 o Ensino Médio e resolveu também se inscrever e fazer a prova do Enem Prisional. Foi quando conseguiu a nota necessária para certificação. Ele pegava muitos livros na biblioteca para estudar e para fazer a prova, além de livros de literatura. Quando estava em liberdade, não pensava em concluir o fundamental, médio e muito menos o superior”, relata a Coordenadora do Projeto, que começou a ajudar com as atividades de João em 2014.

O ingresso na UnP veio por meio de uma bolsa conseguida através do Programa Universidade Para Todos (Prouni), do Governo Federal. A noite do dia 27de fevereiro é um marco e a realização de um sonho na vida de João, primeiro na família a conseguir se graduar. A filha mais velha, Beatriz, foi receber o diploma do pai, que não pode comparecer devido a detenção domiciliar.

As dificuldades também são lembradas pela pedagoga Francisca. O que começou como um projeto da faculdade para ela, não imaginava que poderia ajudar pessoas como o João na ressocialização. “No início, João teve dificuldade. Não sabia utilizar o notebook. Nesse aspecto eu ajudava, imprimindo todas as apostilas, fóruns e atividades. Ele respondia tudo nesse material e depois com o notebook”. Nunca imaginei que esse projeto pudesse atingir um patamar universitário”, relembra a responsável que atualmente ajuda mais 5 detentos que fazem graduação.

“Ressocialização só se consegue através da educação”. Isso é o que João acredita hoje, depois de ter vivido mais de 5 anos em detenção em regime fechado e conseguir chegar a faculdade. “Tive que contornar a grande pressão psicológica que tinha na prisão para conseguir estudar. São muitos desafios. Foi muito difícil. Presos como eu, desistiram por conta disso. Mas peguei gosto pelos livros. Eles foram meus companheiros no presídio”, conta João após a entrega do diploma de graduado em Logística.

Com o certificado em mãos, o plano para o futuro passa primeiramente pela vontade de continuar aprendendo. “Me lembro quando trabalhava como entregador de mercadorias e via os colegas caminhoneiros nos postos de gasolina falando que a nossa profissão fazia parte da área de Logística. Foi daí que nasceu o interesse, mas não tinha como cursar na época. Depois de tudo que passei, chegando a fazer prova da faculdade algemado, vejo que é possível recomeçar. Vou seguir estudando. Quero fazer uma pós-graduação”, comemora João, e segue confiante no novo plano de vida.