Acessibilidade
14 de agosto de 2014 15:41

Artigo – Bacharelado ou Tecnólogo? Eis a questão… (Parte 1)

Existem muitos momentos críticos e decisivos na vida de todas as pessoas. São aquelas situações em que decisões “cruciais” devem ser tomadas. Certamente uma delas relaciona-se com a escolha do curso superior, aquele que o levará ao mercado de trabalho e que, em grande medida, será um divisor de águas no seu progresso profissional.

Percebo que, nesse processo de escolha, uma das grandes dúvidas não se relaciona somente a qual curso selecionar. Nossos jovens e adultos também devem decidir em qual “tipo” de curso desejam ingressar. Seria um curso superior do tipo bacharelado? Ou um curso superior do tipo Tecnólogo? Enfim, para ajudar a dirimir um pouco essas dúvidas, iremos a partir de hoje tentar esclarecer brevemente as principais características de cada uma dessas “modalidades”. Para isso, contarei com a ajuda do Professor Raniery Pimenta, Diretor da Escola de Gestão da UnP, cujo portfólio de opções oferece aos candidatos todas as variantes que possam desejar.

Nesta primeira semana, vamos falar dos cursos de graduação do tipo Tecnólogo. Com a palavra nosso ilustre convidado, o Professor Raniery:

“Os Cursos Superiores de Tecnologia, os chamados tecnólogos, ou CSTs, vêm crescendo a taxas superiores às dos Bacharelados no Brasil. Eles vieram para atender uma demanda por profissionais de nível superior mais especializados em segmentos do mercado.”

Aprendizado focado em uma determinada área do conhecimento; menor tempo para obtenção de resultados; alta empregabilidade e educação continuada são os principais motivos pelos quais as pessoas optam por esse tipo de curso.

Ao final dos dois anos de curso, o profissional consegue fazer aproveitamento de estudos para ingressar em outro curso de graduação, como por exemplo um bacharelado, além da possibilidade imediata de ingressar em uma Especialização ou Mestrado.

Com a quantidade de informações disponíveis do mundo dobrando a cada dois anos, fica fácil entender que conhecimento tem prazo de validade e que é imperativo saber localizar, avaliar e aplicar informações na vida cotidiana. Assim, é importante aprender rápido e focar esforços naquilo que te faz realmente crescer.

Inicialmente os que buscavam os CSTs eram aquelas pessoas que já estavam no mercado há algum tempo e sentiam falta de alguns conhecimentos que os ajudassem a crescer mais rapidamente na carreira profissional. Hoje, a procura inclui também jovens que desejam ingressar mais rapidamente no mercado de trabalho. Eles que veem nos CSTs uma alternativa eficiente para elevar a sua empregabilidade ao participar de aulas com professores e colegas que já atuam no mercado.