Acessibilidade
25 de setembro de 2014 08:00

Artigo – “E-labora: da teoria à prática… na visão dos alunos” (Parte 4 – Final)

Um dos grandes desafios das universidades nos dias de hoje é atrair a atenção dos alunos de modo a facilitar a transferência do conhecimento ministrado durante as aulas. Uma das pesquisas conduzidas pelo e-Labora busca solucionar esse problema de forma bastante criativa, utilizando os recursos e o estímulo das redes sociais como facilitador desse processo.

O “Desafio EXIN” consiste em um jogo de perguntas e respostas preparatórias para o Enade, reunindo todo o conteúdo do curso em versão mobile e para a web. Cada curso desenvolverá suas questões chaves para os alunos acessarem como um jogo, com um ranking para os respondentes.

“O aplicativo também será muito útil para a universidade mapear as disciplinas cujo desempenho está deixando a desejar, facilitando ajustes e acertos”, diz o aluno Henrique Eduardo da Costa, do 8º período do curso de Sistemas de Informação. A performance do aluno também poderá ser compartilhada.

O aplicativo, inédito, deve estar pronto para iniciar a fase de testes até o fim desse semestre. Para Henrique e Carlos Morais Ramos, o outro aluno envolvido na pesquisa, o grande desafio foi transformar uma ideia original em algo que estará a serviço da instituição na qual estudaram. “É uma importante ferra-menta de aferição do aprendizado e um motivo de grande satisfação para nós como alunos da área”, reforça Carlos.

Eles sonham alto. Além de desenvolver um produto que terá grande valor para o portfólio profissional de ambos, imaginam o aplicativo incorporado pela Laureate International Universities, rede global líder em Ensino Superior à qual a UnP está integrada.

Ainda no segmento de aplicativos, outra importante pesquisa está sendo desenvolvida no e-Labora, com o recorde de 12 alunos participantes, entre bolsistas e voluntários.

Um deles é Jonas Jordão de Macêdo, aluno do curso de Sistemas de Informação, que descreve os resultados. “Desenvolvemos um aplicativo para smartphones que irá auxiliar o dia a dia do profissional de Extensão Rural, auxiliando-o na coleta de informações e no atendimento ao agricultor rural, com benefícios para ambos”. O estudo foi direcionado às necessidades de uma autarquia do governo do Estado, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural.

Jonas, como os outros alunos, tem clareza do impacto do estudo. “Construir algo que será útil para a sociedade é de grande importância, e essa proposta está na base de uma pesquisa acadêmica aplicada”, explica. Ele não tem dúvida de que a participação no desenvolvimento do recurso tecnológico será decisiva para uma boa colocação no mercado de trabalho. “Uma experiência real faz toda a diferença e nos lança no mercado com outra visão”, testemunha Jonas.