Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

3 de julho de 2014 11:45

Artigo – A Educação como Herança

Nesta minha primeira semana como contribuinte da coluna de educação, nada mais justo do que homenagear meu pai, afinal foi ele quem influenciou meu respeito por este tema. Assim ficará mais fácil entender que sou apenas mais um dos que creem que a Educação é a peça chave para o desenvolvimento social de nosso país.

Meu pai pertencia à oprimida classe média brasileira dos anos 80. O Brasil trilhava o terrível caminho da “década perdida”, onde desmandos políticos levavam nosso país a viver um longo processo de desilusão. Somado a isso, a contínua presença da inflação achatava o poder de compra e fazia o dia a dia dos brasileiros uma contínua batalha para “chegar ao final do mês”.

Esse mesmo período já solidificara a cruel prática do nosso sistema educativo, com a falta de apoio ao sistema básico público de ensino, tornando as escolas privadas de 2º grau (hoje Ensino Médio) a porta mais eficiente de entrada para uma universidade. Mesmo sendo o Ensino Superior a realidade de uma pequena parcela da população de hoje, aquele Brasil dos anos 80 apresentava um cenário ainda mais desafiador.

Foi nesse ambiente que meus pais criaram seus cinco filhos. Meu pai, engenheiro, e minha mãe, dona de casa, trabalhavam duro para manter a família. Porém, a cada ano ficava mais difícil assegurar o padrão de vida e, pouco a pouco, fomos perdendo os supérfluos que apreciávamos… logo, também, vieram dívidas e a venda do único imóvel da família. A exceção eram os gastos com a escola dos filhos, jamais cortados.

Nesse turbilhão de problemas financeiros, resolvi no “alto dos meus 12 anos de idade” questionar meu pai sobre a razão de tanto esforço: “meu filho… esta é a única herança real que eu posso dar a vocês. É apenas a Educação que permitirá que cada um escolha seu próprio caminho”, disse, com serenidade absoluta. Sempre admirei seus valores e me orgulhava de tê-lo como meu pai. Naquele dia fui dormir ainda mais orgulhoso e passei a dedicar-me com mais afinco aos estudos.

Com o passar dos anos, vi meus irmãos formando-se e se tornando profissionais de sucesso e bons cidadãos. Eu também me formei e segui meus estudos, incluindo um mestrado fora do país. Retornei ao Brasil no fe-chamento do curso e pude trazer o desejado diploma para meu orgulhoso pai, já convalescendo de uma doença fatal.

Meu objetivo hoje foi apenas apresentar-me e dizer que, como meu pai, acredito que a Educação é de fato a “única herança” e que nossa missão é buscar seu aprimoramento contínuo para a nossa e as futuras gerações.