Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

27 de agosto de 2015 19:08

Artigo – Fazendo diferente…. e melhor!

Existem diversos comportamentos que podemos esperar em tempos de crise. O mais comum, infelizmente, é o da prostração e do desânimo. Por outro lado, podemos também perceber nesses momentos árduos uma grande dose de ousadia e um interessante espírito empreendedor em uma boa parte da população. São exemplos assim que devemos seguir!

Desde que o mundo é mundo, vivemos em uma eterna gangorra entre tempos de bonança e de penúria. Porém, também é indubitável que, no longo-prazo, seguimos avançando e nos desenvolvendo como sociedade. Existem alguns estudos que demonstram que essa tendência “crescente” vem, exatamente, daqueles que podem observar “além da crise”. Seria como um processo de depuração natural, em que um ambiente externo mais hostil nos leva a exercitar nossa infindável capacidade de buscar soluções.

Sendo assim, caberia a cada um de nós olhar esse momento que vivemos, cercados por uma crise política e econômica, como uma fase transitória. Durante esse período podemos:

  • Buscar aprimorar aquilo que fazemos, sabendo que adaptações e melhorias serão necessárias não somente para solucionar os problemas atuais, mas também que servirão como uma base sólida de vantagem competitiva no “pós-tempestade”; ou seja, a busca por ganhos de produtividade e por soluções inovadoras deve ser o foco de todos atualmente;
  • Criar e inovar continuamente: o momento deveria ser pensado como a chance de “começar algo do zero”, liberando-nos da trajetória passada. Isso nos permite ver o mundo sem “preconceitos” e, assim, estabelecer um modelo para novas soluções;
  • Desenvolver-se e aprimorar-se: por mais incrível que pareça, é exatamente em momentos duros que devemos buscar ampliar ainda mais nossos conhecimentos. Primeiro, porque serão eles que poderão facilitar a busca de soluções para os problemas atuais. Segundo, porque esses conhecimentos serão também nossa base de largada no pós-crise e, certamente, poderão proporcionar uma vantagem significativa quando o mercado voltar a aquecer-se. Por último, cada conhecimento adquirido agora também servirá como combustível para sair da crise, ou alguém duvida que a educação é realmente a mais potente ferramenta para o progresso?

Enfim, apesar do atual ambiente externo complicado, devemos seguir resolutos em nosso desejo de desenvolvimento e, mais do que nunca, apostar que:

  1. Somente nossa atitude pode mudar isso. Sejamos exigentes, audaciosos e esforçados na busca contínua por nosso autodesenvolvimento e na cobrança de melhorias estruturais que evitem a repetição de erros no futuro;
  2. Somente a Educação, ampla e de qualidade, poderá prover o salto de desenvolvimento social e econômico que tantos almejados.

Sendo assim, mãos à obra e façamos o possível para acelerar o início de um novo ciclo de crescimento e desenvolvimento em nossa sociedade!