Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

12 de Março de 2015 18:15

Artigo – Internacionalidade oferece novos horizontes à educação

Hoje conto, mais uma vez, com a preciosa ajuda do Professor André Lemos, Diretor de Internacionalidade da UnP, que nos contempla, desde a semana passada, com textos que falam sobre a importância da internacionalidade na vida acadêmica. Seja para alunos ou professores. Com a palavra, Professor André:

“A educação está cada vez mais globalizada. Hodiernamente as possibilidades estão ampliadas para todos. Isso por consequência natural e inerente ao fenômeno mencionado. Novos desafios se apresentam nessa seara. Exemplifica com o próprio planejamento e estruturação da carreira docente.

A profissão do professor está vivendo um redesenho mercadológico. A qualificação e os conhecimentos de mundo estão mais presentes. Não há desconexão com aspectos internacionais e sim uma grande interdependência. Os exemplos e o material de aula têm origens mundiais. Isso é fato!

Atualmente, a base de formação é ‘embebida’ na internacionalidade, a exemplo dos cursos de aperfeiçoamento, que hoje se fazem necessários para a docência, como os mestrados e doutorados que possuem uma carga internacional considerável. A leitura e o estudo, independentemente da área, são intercontinentais. Módulos internacionais estão presentes nas carreiras de formação, ainda que eminentemente práticas como os MBA’s.

O objetivo é proporcionar um embasamento maior ao futuro-presente formador de opinião: o professor. A capacitação docente, como explanado, está em sintonia com essa abertura de horizontes que a educação está vivenciando. É uma oportunidade. Os catedráticos devem aproveitar esse momento, as facilidades e enfrentar a atual conjuntura mercadológica, que é muito mais exigente. Isso como um desafio que é regra.

A constante busca por cursos de aperfeiçoamento, ainda que gratuitos, certificação de formação e títulos internacionais, são uma facilitação da educação sem fronteiras. Relembre como era difícil há alguns anos a busca de conhecimento através de cursos no exterior, ainda que através do inovador método ‘e-learning’. Hoje eles estão na nossa frente, ou seja, ao nosso pleno alcance. Não aproveitar seria assumir uma posição de ineficácia acadêmica. Estagnação.

O aprimoramento do conhecimento está facilitado. A mundialização trouxe mais oportunidades. O custo é acessível, pois as opções são muitas. ‘Lex mercatória’. O paradigma está dentro de si. É o vencer, o querer e o fazer. Depende exclusivamente da sapiência e da oportunidade. As barreiras existem, mas são mais transponíveis. Temos que romper as barreiras do idioma, da idade e ‘sair da zona de conforto’.”