Acessibilidade
10 de setembro de 2015 13:33

Artigo – Orgulho Potiguar

Enquanto no dia 7 de setembro muitas pessoas optavam por descansar, um grupo de pessoas de todo o país aguardava ansiosamente o resultado do Expocom 2015, uma mostra competitiva das produções acadêmicas dos alunos de Comunicação de todo o Brasil e um dos principais referenciais de qualidade na área.

Dentro das dependências da UFRJ, sede do evento neste ano, cerca de 270 concorrentes apresentavam o que há de melhor nessa reconhecida e premiada área acadêmica.

A competição de fato, porém, iniciou-se alguns meses antes, incluindo centenas de candidatos de quase todas as Instituições de Ensino Superior do nosso RN, que entraram nessa longa jornada durante a eliminatória regional, realizada no mês de julho, na UnP, que serviu para qualificar os vencedores para a etapa nacional.

Neste ano, no Rio, tivemos o prazer de ver cerca de 10 trabalhos de quatro instituições potiguares que passaram nos estreitos funis, deixando pelo caminho milhares de outros estudantes de todo o Brasil. E foi assim que nossos jovens e brilhantes competidores juntaram-se à árdua concorrência entre mais de duas centenas de trabalhos das mais renomadas instituições brasileiras de ensino, como USP, ESPM, UFRJ e tantas outras.

Para nosso orgulho, o contingente de nosso estado brilhou uma vez mais e conseguiu conquistar três dos 69 prêmios distribuídos, sendo cada um deles o ganhador em sua respectiva categoria. Tal desempenho começa a desenhar uma deliciosa tradição de sucesso para nosso RN, já que, no ano anterior, tivemos a UnP alcançando a inédita primeira posição geral no quadro final da Expocom, com o total de cinco prêmios em nível nacional.

Além disso, cada trabalho vencedor traz, além da certeza da qualidade criativa dos nossos jovens, também uma história própria e individual de suas conquistas. Por exemplo, na categoria Roteiro de Cinema, as egressas do curso de Cinema da UnP, Dhara Ferraz e Moniky Rodrigues utilizaram seu Trabalho de Conclusão de Curso em 2014, o roteiro do filme “Ìlia”, para vencer os concorrentes das demais regiões do Brasil, provando o potencial para a “terceira arte” latente em nossa região.

Da mesma forma, cinco alunos do curso de Comunicação Social da UERN (Johnantan Cruz, Jéssica Mafra, Murilo Santos, Alexandre Fonseca e Isaiana Santos) emocionaram os jurados e a plateia, levando o prêmio máximo na categoria Documentário, com as lembranças dos idosos do Abrigo Amantino Câmara, em Mossoró.

Por último, vale destacar a egressa do curso de Publicidade e Propaganda da UnP, Flora Caldas, que arrebatou o primeiro prêmio na categoria Jingle, uma das mais difíceis e tradicionais da mostra, contando a história de outros vitoriosos: o grupo Giradança, formado em sua maioria por dançarinos cadeirantes.

Em resumo, nossos jovens provaram mais uma vez seu valor e capacidade de destacar-se através do conhecimento e qualificação no extremamente competitivo cenário da Comunicação brasileira, enchendo a cada um de nós de orgulho e, sobretudo, tornando-se, eles mesmos, em exemplos a serem seguidos por seus pares. Afinal de contas, no mundo da Comunicação, nossos jovens provam que o prestígio e a qualidade são produtos tipicamente potiguares!