Acessibilidade
20 de novembro de 2014 08:12

Artigo – Primeiros Passos

Nos últimos meses venho me dedicando a escrever sobre diversos temas relacionados à educação. Busquei imprimir um tom informal aos artigos, pois gosto de compartilhar minhas opiniões da maneira mais acessível possível.

Seguindo a minha “informalidade”, gostaria de relatar um fato que me orgulhou nesta semana: a alfabetização do meu filho. Entendo que, para muitos, isso pode parecer “simples demais” para ser debatido em uma coluna de jornal. Porém, para mim, esse fato é certamente um dos mais importantes e comoventes momentos na vida educacional de uma pessoa.

Neste ano meu filho mais velho finalizou o 1° ano do Ensino Fundamental. Acompanhei de perto sua evolução e fiquei muito orgulhoso com seu progresso.

Lembro-me bem do início do “ano letivo”, quando ele já tinha conhecimento básico das letras e de algumas palavras, mas ainda estava muito distante de tornar-se “independente” no entendimento de textos e frases.

Nesse começo, as “lições de casa” eram encaradas como verdadeiros castigos. Diariamente ele tentava, de maneira obstinada, nos convencer de que jamais iria gostar “daquilo”.

Com didática e empenho dos educadores de sua escola (e também com nosso incentivo e cobrança), ele foi, pouco a pouco, ganhando mais naturalidade com o mundo complexo e fascinante das letras.

No meio do ano já líamos juntos seus livros infantis, com cada um sendo responsável por um parágrafo, alternadamente.

Sua escrita também começou a desenvolver-se. A sonoridade das sílabas começava a ter sentido em sua cabecinha e ele escrevia palavras de acordo com a forma como as escutava, baseando-se nos fonemas que entedia. Mesmo com alguns erros, isso já nos dava a segurança de que ele estava no caminho certo.

Ao final do ano necessitávamos apenas que ele nos mostrasse suas lições e a forma como as havia resolvido. Nosso pequeno homenzinho ganhava independência e começava a caminhar sozinho no universo das letras.

O fechamento de ouro deste ano de aprendizagem veio, para mim, nesse último final de semana. Eu estava conversando com minha esposa quando estranhei o silêncio em casa, pois tendo dois meninos, o barulho é quase uma constante em nosso lar. Na ponta dos pés, fui observar o que eles estariam fazendo. No quarto deles vi meu “recém-formado” sentado ao lado de seu irmão caçula. Em suas mãos, um livro que ele lia em voz alta, deliciando-se com a estória que contava para seu irmãozinho dormir. Sorri orgulhoso ao ver aquela cena e percebi, naquele momento, que a educação e a leitura haviam ganhado mais um fã. Essa coluna é também um agradecimento a todos os professores do Ensino Fundamental por seu nobre trabalho de orientar nossas crianças em seus primeiros passos nas letras. Parabéns a todos vocês!