Acessibilidade

Central de Atendimento: (84) 4020-7890

23 de outubro de 2013 11:55

Caco Barcellos abre XV Congresso Científico da UnP

O jornalista e escritor Caco Barcellos proferiu ontem, 22, no Centro de Convenções de Natal, a palestra de abertura do XV Congresso Científico e XIV Mostra de Extensão da UnP, que este ano aborda o tema “Formação e Empregabilidade: Desafios Globais”. A palestra foi precedida de apresentação do Coral da UnP, das boas-vindas da Reitora, Profa. Sâmela Gomes, e da entrega de bolsas a alunos da Universidade e professores da rede pública. O evento contou com a presença do presidente da UnP Marcus Peixoto. 

A Reitora Sâmela Gomes agradeceu a todos os envolvidos na realização do Congresso, bem como os participantes e o palestrante, ressaltando os avanços da Universidade Potiguar em todos os pilares intrínsecos ao universo acadêmico. Para os alunos, a Reitora lembrou sobre a necessidade de serem atuantes e “comprometidos com seus planos de futuro” através do “esforço, dedicação e conhecimento”.

Em sua palestra, Caco Barcellos abordou o tema do Congresso pontuando exemplos da realidade brasileira com sua própria trajetória de vida, além de exibir vídeos de matérias suas.  O jornalista ressaltou que os jovens de hoje têm a sorte de vivenciar uma época de maior abertura democrática que possibilitou o crescimento econômico, refletindo em mais oportunidades no mercado de trabalho. 

Barcellos citou ainda problemas sociais brasileiros como a desigualdade social, violência e corrupção, para lembrar o quanto ainda é difícil, mas não impossível, ascender socialmente no Brasil. Para ele, mais importante do que receber bons salários é fazer o que se gosta e prezar pela responsabilidade social e moral do trabalho realizado, o que é reflexo dos conselhos que ouvia tanto do seu avô quanto do seu pai. O jornalista lembrou ainda da contribuição da Igreja em sua formação, com doações de importantes livros para ele na adolescência.

Para os jovens estudantes, o jornalista aconselhou o desenvolvimento de um trabalho que também tenha foco “na responsabilidade social e trabalhar por um país melhor”, apesar das dificuldades. “O mais simples indivíduo, se ele é correto, não pode admitir injustiças contra ele”, disse, exemplificando a luta pela qual os mais humildes enfrentam diariamente.  Ao final, Barcellos ressaltou a importância da consciência crítica de cada um. “Que vocês tenham consciência crítica! (…) A qualificação não depende só do seu mestre (…) mas do desejo particular de você inventar a sua própria trajetória!” O encerramento do evento foi animado pela banda potiguar UsKaravelho.