Acessibilidade
31 de outubro de 2017 18:24

Conceição Flores será homenageada em edição de seminário da UFRPE em 2018

Em todas edições do MILBA são prestigiados nomes que se destacam na Literatura. A professora e escritora resgata a memória de autores potiguares e portugueses em suas obras

Nascida na ilha do Faial, Açores Portugal, mas há 36 anos em terras brasileiras, a Doutora em Educação, professora Maria da Conceição Crisóstomo de Medeiros Gonçalves Matos Flores, ou simplesmente: Conceição Flores, com é chamada pelos seus alunos, fala que apenas transita entre os dois continentes, não se considerando apenas portuguesa, mas amante e defensora das duas culturas. Na literatura, tem um legado importante: resgatar a memória de escritores desconhecidos do grande público e destacar o papel das mulheres e minorias nesse cenário.

Essa bandeira, e suas contribuições com publicações evidenciando a vida e obras de autores potiguares e portugueses, motivou o reconhecimento de ser a escritora que será homenageada na quarta edição do Seminário MILBA – Historiografia, Crítica e Escrevivências nas Literaturas de Autoria Feminina em 2018. O anuncio foi realizado durante a terceira edição do evento, que aconteceu na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), nos dias 27 e 28 de novembro.

A professora doutora em Educação pela UFRN é docente da Escola de Educação da UnP desde 1999. São mais de 18 anos e diversas contribuições na formação de outros educadores. No curso de Letras, atua também como tutora do Programa de Educação Tutorial (PET), que tem gerado frutos e contribuições para literatura potiguar. Em 2014 foi publicado pela edUnP, Editora da UnP, o Dicionário dos Escritores Norte-rio-grandenses: de Nísia Floresta à contemporaneidade, um trabalho de pesquisa realizado em conjunto com os alunos bolsistas do programa.

O Dicionário possui mais de 500 nomes de escritores do cenário cultural do Rio Grande do Norte  e que têm produção literária em jornais e revistas. Outra contribuição, realizada em parceria com as professoras Constância Lima Duarte e Zenóbia Collares Moreira, “Dicionário de Escritoras Portuguesas”, resgata os nomes de escritoras conterrâneas de Conceição Flores. Outras obras publicadas são frutos da sua dissertação de Mestrado em Estudos da Linguagem e tese de Doutorado em Educação, ambas pelas UFRN.

“Ao realizar uma crítica literária, colocamos uma ação política em prática, ao defender e evidenciar o papel das mulheres na Literatura. Trabalhamos hoje com nichos [literatura feminina, literatura afro-brasileiros] como forma de dar visibilidade a esses autores. Mas o que desejamos é que no futuro não haja essa divisão e reconheçamos apenas como escritores e literatura, como deveria ser”, almeja professora Conceição Flores.

Não somente no cenário potiguar, em que a mulher não conseguiu ter destaque na literatura, Conceição avalia que historicamente foi tirado o espaço da mulher e impossibilitou sua ascensão como grandes pensadoras, não tendo, muitas delas, o devido reconhecimento e valorização das obras “ As mulheres  ficaram escondidas por muitos séculos de nossa história. Não sendo dado a elas esse espaço. Tentamos evidenciar essas autoras”, enfatiza Conceição Flores.