Acessibilidade

Central de Atendimento: (84) 4020-7890

10 de outubro de 2011 18:40

“CST em Petróleo e Gás” da UnP recebe regulamentação do CREA/RN

Os Cursos Superiores de Tecnologia em Petróleo e Gás da Universidade Potiguar – UnP foram oficialmente cadastrados no sistema CONFEA/CREA-RN. A partir de agora, todos os alunos que já concluíram esses cursos podem solicitar seus registros junto ao órgão de classe. A reportagem do UnP EM FOCO conversou o Diretor do Curso, Felipe Formiga, para ter maiores informações sobre essa novidade.

UnP EM FOCO: O que significa para os Cursos Superiores de Tecnologia em Petróleo e Gás estarem oficialmente cadastrados no CONFEA/CREA?

Prof. Felipe: Significa dizer que o exercício da profissão de tecnólogo em Petróleo e Gás agora é regulamentada pelo CREA-RN, que delimita e fiscaliza competências da atuação dos profissionais dentro das empresas do setor. Logo, todo e qualquer tecnólogo em Petróleo e Gás graduado na Instituição pode requerer o cadastro no órgão regulamentador.

UnP EM FOCO: A quem o senhor credita essa conquista?

Prof. Felipe: À direção do CST em Petróleo e Gás – Mossoró (Felipe Formiga e Franklin Mendes), à diretora da Escola de Engenharias e Ciências Exatas (Catarina Pinheiro), além do auxilio do Diretor do Campus Mossoró (Frank Felisardo), da Magnífica Reitora (Sâmela Soraya) e do Gerente da Inspetoria Regional de Mossoró Almir Mariano.

UnP EM FOCO: Essa novidade é um diferencial para o curso no mercado?

Prof. Felipe: Algumas empresas do setor só contratam profissionais devidamente cadastrados no sistema. A contratação de um profissional sem o cadastro no sistema é exercício ilegal da profissão. (Uma breve comparação seria como alguém formado em Direito exercesse papel de advogado sem aprovação no concurso da OAB, ou um médico não cadastrado no CRM).

UnP EM FOCO:  Como se deu esse processo de aprovação pelo CONFEA/ CREA e como a notícia foi recebida pelo senhor?

Prof. Felipe: No dia 27/04 foi entregue na sede do CREA-RN toda a documentação necessária para o cadastro do curso que basicamente era composto pelo Formulário A (Cadastramento do Curso da Instituição de Ensino e Análise do Perfil de Formação do Egresso), O Projeto Pedagógico do Curso e Anotação de Responsabilidade Técnica de Cargo/ Função da Direção e Docentes do Curso. Desde então reuniões periódicas foram realizadas para delimitar as competências do profissional no mercado de trabalho e em seguida, foi agendada para o dia 06/10, a Assembleia onde os Conselheiros do CREA deferiram o processo da Instituição.