Acessibilidade
16 de agosto de 2012 10:21

Curso de Enfermagem realiza Campanha pela Paz hoje e amanhã

O curso de Enfermagem da Universidade Potiguar, integrante da rede internacional de universidades Laureate, convida toda sociedade acadêmica a se mobilizar para dizer não a violência, através da Campanha “Enfermagem em Defesa da Vida sem Violência”, que tem como slogan “Digo Sim pela vida, por isso, digo não a violência”. Ações serão realizadas nestes dias 16 e 17 de agosto na Escola da Saúde – Unidade Salgado Filho. 

De acordo com o coordenador da campanha, Prof. João Bosco, haverá divulgações de notas em mapas sobre a violência que assola a população norteriograndense em mapas distribuídos na Escola de Saúde: “Hoje, quinta-feira, a comunidade acadêmica se veste de preto em protesto à violência; mas, amanhã, em um convite de “Vista-se de paz e diga não a violência”, todos são convidados a se vestirem de branco e prestigiarem apresentações culturais e exposição de mensagens de esperança em prol de uma sociedade mais justa e menos violenta” – explica o Professor.

A coordenadora do curso de Enfermagem, Profa. Brenda Justiz, também explica que com a ação desta sexta-feira será feito o lançamento da campanha, com todos os alunos de Enfermagem realizando atividades educativas: “Neste semestre, ao invés do trote solidário, daremos início a esta campanha que, ao longo do curso, terá várias ações preventivas. Ao final do semestre, os alunos irão propor um novo tema para a campanha social do semestre seguinte” – encerra.

Vista-se de Paz e diga não à violência

Dados apontam para o crescimento da violência em todo o território nacional. O Mapa da Violência divulgado pelo Instituto Sangari em 2011, demonstra que Natal ocupa o 453º e o 9º lugares no ranking nacional e estadual, respectivamente. São sinais de alerta que nos levam a exigir das autoridades competentes, medidas eficientes e eficazes ao enfrentamento da situação.

“A ‘sociedade líquida’, na qual as pessoas sofrem com a dificuldade de construir vínculos afetivos, faz com que muitas pessoas não percebam o fenômeno da violência, a não ser que esta bata a sua porta. Entretanto, precisamos urgentemente reconstruir sentimentos como solidariedade e altruísmo, para que possamos vislumbrar uma sociedade mais justa, menos violenta e com uma perspectiva de futuro, no qual todos nós possamos caminhar pelas ruas, parques e espaços de concentração de grupos sem medo de sermos vitimadas por atos agressivos que denigram a nossa dignidade humana” – conclui o Prof. João Bosco.