Acessibilidade
22 de Maio de 2017 16:56

Curso de Relações Internacionais realizou evento que simula organizações internacionais

A atuação de órgãos internacionais como ONU e União Europeia foram simuladas em dois dias de evento e reuniu alunos de Relações Internacionais e do Ensino Médio.

O curso de Relações Internacionais, em parceria com a instituição brasiliense Internationali Negotia, com o International Office da UnP e com o Centro Acadêmico Fernando Abbott Galvão, realizou, entre os dias 20 e 21 de maio, a II INTERBRASIL – Rio Grande Do Norte, competição nacional de simulação de organizações internacionais, voltado para o aprendizado de alunos de ensino médio e fundamental.

Participaram do evento mais de cinquenta estudantes de escolas de Natal e de Mossoró e, ao longo do fim de semana, os alunos tiveram a oportunidade de discutir e analisar temáticas voltadas para exames nacionais de admissão em instituições de ensino superior, como a Crise dos Mísseis de Cuba, em 1962, e a problemática atual dos refugiados na União Europeia.

Além de aprofundar o conhecimento sobre conteúdos específicos relacionados a esses temas, a prática das simulações também desenvolve aptidões essenciais para os alunos envolvidos no evento, como as capacidades de oratória, de negociação, de persuasão e de etiqueta.

De acordo com Danilo Reis, coordenador do curso de Relações Internacionais, “a prática da simulação está em consonância com a educação do século XXI, voltada não só para a proficiência de conteúdos objetivos, mas também para o aperfeiçoamento de competências, habilidades e atitudes. Essa é, inclusive, a metodologia de ensino que a UnP tem adotado com o projeto EduAction e é por isso que sentimos a necessidade de sediar esse evento, uma vez que as simulações são uma ferramenta ativa de ensino e aprendizagem”.

Rafael Dimitry, aluno de Relações Internacionais e um dos organizadores do evento, falou do sentimento de participar do encontro. “A experiência da simulação foi algo que me surpreendeu de todas as maneiras. Falando como aluno de Relações Internacionais, eu me senti no ambiente ideal de trabalho, afinal, diplomacia é algo com o que eu quero trabalhar. Ver como cada país tomava suas decisões e seguiam as políticas externas de suas nações e utilizavam de ferramentas diplomáticas, as mesmas que estudamos em sala, para resolver os conflitos, foi ver na prática e de muito perto a realidade do mundo diplomático. Sem dúvida um dos meus melhores momentos como aluno de RI”, destacou o aluno da 5ª série da Graduação.

“Gratificante. Essa é a palavra que eu posso resumir esses dois dias de evento. Como estudante de Relações Internacionais foi incrível poder acompanhar de perto o funcionamento de uma simulação, onde estava sendo colocado em prática tantos assuntos já abordados em sala de aula. Me surpreendi bastante com o nível dos alunos que contribuíram muito para que tudo ficasse o mais próximo possível da realidade e realizaram debates muito pertinentes. Eu, que nunca havia participado de uma simulação, me senti no próprio conselho”, ressumiu a experiencia Lígia Freitas, também aluna da 5ª série.

Os alunos de ensino médio e fundamental que receberam os prêmios de melhores delegados irão participar de uma final nacional em Brasília em dezembro. O participante vencedor nesse dia será o representante brasileiro na simulação internacional a ser realizada em uma universidade americana.