Acessibilidade

Central de Atendimento: (84) 4020-7890

26 de Março de 2012 10:17

Entrevista com docente vencedor da etapa local do Prêmio David A. Wilson

UnP EM FOCO: Como o senhor vê a importância do Prêmio David A. Wilson para docentes da Rede Laureate?

Prof. João Bosco: Vivemos mundialmente processos de transição, os quais exigem profundas mudanças nos modos de organizar a vida em sociedade. No contexto da educação, torna-se evidente a importância de transformações no âmbito do ensino, uma vez que o modelo de educação pautado na transmissão do conhecimento é insuficiente para a formação de profissionais capazes de construir competências e habilidades técnicas, atitudes éticas e posturas políticas frente aos desafios do mundo do trabalho no Século XXI. Nesse contexto, prêmios como o David A. Wilson, que tem por objetivo reconhecer e oferecer suporte à excelência e à inovação do ensino e da aprendizagem realizados por  docente da rede “Laureate International Universities”, funcionam como estímulos ao trabalho do professor, haja vista que além de incentivar a pesquisa acadêmica, atividade essencial e imprescindível ao docente universitário,  contribui também para que ideias inovadoras que fortalecem a melhoria da qualidade do ensino sejam consolidadas, ampliadas e divulgadas junto a todos que fazem Rede Laureate.

Portanto, o Premio David A. Wilson torna-se extremamente importante por representar o reconhecimento aos esforços de docentes que, comprometidos com uma educação de excelência, são capazes de assumir a criatividade, a ousadia e coragem como instrumentos mobilizadores de suas ações educativas, buscando religar conhecimento cientifico e cultura humanística para uma formação integral do sujeito.  

UnP EM FOCO: O mérito da premiação é para projetos inovadores na área de ensino. O que o senhor destacaria do seu projeto?

Prof. João Bosco: O Projeto intitulado “A Integralidade como Eixo Estruturante para a ampliação e fortalecimento do Estágio Curricular Supervisionado em Saúde/Enfermagem”, realizado sob minha coordenação, tem por objetivo analisar o processo de implantação do Estágio Curricular Supervisionado – ECS no processo de formação em saúde, destacando a sua importância para o processo de formação integral do sujeito, produzindo assim profissionais com competências técnicas, éticas e políticas para o enfrentamento dos problemas de saúde nos contextos nos quais estejam inseridos. Esse estudo inova ao reconhecer que a integralidade, compreendida não apenas como um importante princípio do SUS, mas como uma atitude profissional que possibilita religar conhecimentos científicos e cultura humanística no universo da saúde, produz caminhos para uma formação mais integral e eficaz em enfermagem.

No caso do Estagio Curricular Supervisionado em Enfermagem, a integralidade, funciona como um eixo de articulação entre os diversos campos de praticas, articulando não apenas saberes, mas principalmente estratégias e possibilidades de construção do conhecimento, que colaboram com a formação de profissionais mais críticos e reflexivos, capazes de atuar positivamente no processo de transformação necessária a melhoria da qualidade de vida e de saúde da população.

Ainda é importante destacar que a proposta inova ao assumir o compromisso com a educação permanente de todos os trabalhadores envolvidos no Estágio, uma vez que todas as reflexões serão feitas com os profissionais que atuam nos espaços que funcionam como campos de práticas dos estudantes de enfermagem, possibilitando assim mudanças nesses serviços de saúde. Essa realidade reafirma o compromisso da Universidade Potiguar com a melhoria da saúde do município de Natal e porque não dizer com a saúde do estado do Rio Grande do Norte.

O Estagio Curricular Supervisionado do Curso de Enfermagem, nosso cenário de pesquisa, ao assumir essa perspectiva de um trabalho pautado na integralidade, traz para o contexto da formação em saúde na UNP, chaves para a abertura de novos caminhos que visam um profissional de saúde capaz de entender o ser humano em sua multidimensionalidade, produzindo assim o efetivo processo de humanização do cuidado em saúde.

UnP EM FOCO: O senhor concorrerá agora à etapa global. Qual a expectativa em relação a isto?

Prof. João Bosco: Aguardamos com ansiedade o resultado das etapas seguintes. Compreendemos que como em todo processo seletivo, nesse momento, estamos concorrendo com inúmeras outras excelentes propostas que acenam para uma formação de excelência no contexto da Rede Laureate. Mas fizemos a nossa aposta, estamos construindo nosso caminho, e estamos confiantes de continuaremos obtendo resultados positivos nesse processo. Entretanto, é preciso dizer que, independente dos próximos resultados, assumimos o compromisso com o desenvolvimento da pesquisa, uma vez que, as transformações produzidas no Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Enfermagem, foram iniciadas e não há como voltar atrás, pois os frutos desse processo já começam a brotar, e precisamos alimentar novas terras com as sementes produzidas por eles. 

UnP EM FOCO: Que importância tem para o senhor enquanto docente ter sido o vencedor da etapa local da premiação?

Prof. João Bosco: Sinto-me honrado e extremamente feliz por ter conseguido vencer a etapa local, entretanto, longe de me envaidecer, esse resultado  aumenta a minha responsabilidade, enquanto docente, frente ao Curso de Enfermagem da UNP, e de toda Escola da Saúde, em continuar sonhando e transformando sonhos em realidade, no que concerne a uma formação em saúde/enfermagem complexa, integral e transdisciplinar, na qual os trabalhadores construídos por essa formação sejam sujeitos capazes de respeitar a vida em todas as suas dimensões.

É preciso dizer também que esse projeto é resultado de um trabalho em equipe. Este não teria sido possível se eu não tivesse contado com o apoio irrestrito de toda equipe de professores, da coordenação de estágio, da qual também faço parte, e da direção do Curso de Enfermagem, na pessoa da Profa. Brenda Justiz, que como Diretora é capaz de perceber potenciais e estimular a criação de propostas de trabalho que visem à melhoria da qualidade do ensino. Foi com um olhar empreendedor que a profa. Brenda nos permitiu ousar e pensar um estágio que amplia e fortalece a formação em enfermagem, tomando como instrumento para o trabalho a integralidade que religa saberes e produz um novo jeito de ser enfermeiro/a.

Por isso, posso dizer que a conquista dessa etapa local, não é uma vitória individual, mas é a conquista de um grupo de sujeitos que juntos foram capazes de unir seus sonhos em torno de um sonho maior, ou seja, uma formação integral dos trabalhadores da saúde/enfermagem.