Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

18 de setembro de 2012 10:12

Estudantes do Futebol Sem Fronteiras conhecem projeto social da UnP

Um grupo formado por 13 estudantes da Universidade de Londres, integrantes do Football Beyond Borders -FBB (Futebol Sem Fronteiras), visitaram, ontem, 17, a Unidade Salgado Filho e conheceram o projeto social Força no Esporte.

Os estudantes estão em Natal desde o dia 15 e ficam até o dia 24 participando de diversas atividades na cidade. O projeto Força no Esporte surgiu em 2009 de uma parceria entre a  UnP, Base Aérea e Prefeitura de Parnamirim, e visa atender crianças em situação de vulnerabilidade social. Segundo o coordenador do projeto, professor José Fernandes, “o projeto atende a 200 crianças da rede municipal de Parnamirim, na faixa de 10 a 14 anos, com vulnerabilidade social. Nossa proposta é educar através do esporte”, explicou.

O voluntário Francisco Dantas Guedes, que está hospedando a equipe em sua residência, traduziu toda a explicação para os estudantes. A voluntária Marília Sá, ex-chefe de cerimonial, organizou a vinda do grupo para Natal e programou as atividades. “Minha participação é voluntária. Sempre gostei da interação entre os povos e tendo essa oportunidade eu me envolvo com bastante dedicação”, disse.

Durante a apresentação do Força no Esporte ao grupo, foi feito o convite para que eles visitem as crianças do projeto. O coordenador do curso de Educação Física, Breno Guilherme, confirmou uma partida de futebol de alunos da UnP com a equipe do Football Beyond Borders no próximo dia 20, quinta-feira, às 20h, no Sest/Senat.

Para o estudante britânico Jasper Kain, 24, que estuda Política e Antropologia, o FBB é uma oportunidade para os jovens se envolverem e vivenciarem realidades diferentes,  e uma coisa que lhe chamou atenção no Força do Esporte foi o envolvimento direto das Forças Armadas em projetos sociais da Universidade. “Essa percepção sobre o militarismo é totalmente diferente na Inglaterra. É interessante ver a interação deles com a universidade. Lá é bem separado. Nós temos muito o que aprender com isso”.

Na opinião do estudante marroquino Salim Ovarisi, 23, que cursa Economia, o projeto é importante para todo mundo, uma vez que proporciona a interação de pessoas de diferentes culturas com o objetivo de oferecer melhores chances. “Não devemos ter os olhos vendados, devemos nos conscientizar sobre as diferentes realidades e fazer algo para promover melhores chances e oportunidades iguais”.