Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

17 de abril de 2019 16:15

Ex-aluno de Medicina representará o Brasil em encontro científico nos EUA

O médico Nilson Mendes será o único brasileiro em reunião anual onde apresentará seus estudos sobre crianças com síndrome do Zika

O único representante brasileiro em um importante encontro anual de cientistas de todo o mundo sairá do Rio Grande do Norte. O médico Nilson Mendes, ex-aluno de Medicina da UnP, será um dos participantes da 18ª reunião da Sociedade Americana de Doenças Infecciosas (IDSA) promovida em parceria com o Instituto Nacional de Saúde do Estados Unidos (NIH). Na ocasião, Mendes irá apresentar seus estudos sobre as manifestações radiológicas e clínicas das crianças com síndrome do Zika, um dos temas que ele trabalha desde a Graduação.

O evento será realizado entre os dias 6 e 8 de junho na cidade de Bethesda (Maryland), nos Estados Unidos. Durante a reunião, jovens médicos cientistas, líderes em diversas áreas de saúde, se fazem presentes para explanar sobre o atual cenário das pesquisas, novas doenças que surgem e o desenvolvimento de novos tratamentos.

Em 2018, Nilson Mendes foi o primeiro brasileiro a ser selecionado para estar na reunião e o convite se repete em 2019. “Fico muito feliz com o reconhecimento internacional. Se trata de uma reunião muito importante pelo contato que temos com médicos, pesquisadores experientes que estão formando as novas lideranças”. O médico explica que o encontro também envolve um processo de mentoria, para formar a nova geração de médicos pesquisadores.

Por ser uma reunião exclusiva para médicos que têm vínculos com os Estados Unidos, o trabalho desenvolvido pelo cientista potiguar se destaca ainda mais. Atualmente, Nilson Mendes é mentor e professor da Associação Americana de Médicos Cientistas e também possui vínculos com a University of California, Davis.

Em 2016, o médico foi destaque internacional pela pesquisa desenvolvida sobre a epidemia Zika que resultou nos inúmeros casos de crianças nascidas com microcefalia. Além disso, Nilson já teve dez trabalhos aprovados para congressos de duas sociedades médicas dos Estados Unidos durante o segundo semestre de 2017. E no ano de 2018 mais seis pesquisas foram aprovadas no 70º Congresso Anual da American Academy of Neurology. Ele também é membro da Academia Americana de Neurologia (AAN).