Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

15 de Março de 2018 15:30

Ex-alunos de História apostam na pesquisa e são aprovados em mestrado da UFRN

José Hernande

Os ex-alunos José Hernande Ribeiro e Juscelino Barros da Silva Filho foram aprovados no mestrado acadêmico em História, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A prova de seleção teve três etapas, e em todas, os alunos tiveram notas acima da média.

O professor Doutor Mariano Azevedo, responsável por implantar um perfil diferenciado ao curso, voltado também para a pesquisa acadêmica, fala que os alunos e os demais da turma sempre se destacaram nas atividades. “Um consenso de todos os professores que acompanharam os alunos é que se trata de uma turma especial devido a qualidade do pensamento crítico e reflexivo dos estudantes, que só melhorou semestre após semestre”, comenta Mariano.

Juscelino Barros

O curso de História tem destaque também na Instituição. Segundo o ranking da Folha de S. Paulo, divulgado em 2017, o curso da UnP configura entre os 12 melhores do Brasil entre instituições privadas, melhor curso do Norte-Nordeste e 2º melhor geral do RN.

Os ex-alunos garantem que foi muito esforço e dedicação para chegar nessa nova fase da vida: a dedicação a pesquisa e a carreira acadêmica. Juscelino Barros, assegura que “muito trabalho duro e perseverança traz resultado”. Já José hernandes, o laureado da turma e que deseja seguir a carreira acadêmica como professor, destaca que ” foi uma ano de preparação”.

O professor Mariano avalia ainda o potencial de toda a turma, que colou grau em 2018. “Acreditando que o segredo do sucesso é a cobrança e o desafio intelectual lançado aos alunos ao invés da facilidade que mais distrai do que forma, os docentes do curso de História da UnP consideram que além dos dois alunos aprovados, toda a turma está preparada para os desafios da vida profissional, seja no mercado construído em torno da educação, no setor público da educação básica ou na pesquisa acadêmica”, conclui.