Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

15 de Maio de 2014 10:57

Filósofa Viviane Mosé abre VII Congresso Científico do Campus Mossoró

A filósofa Viviane Mosé abriu na última terça-feira, dia 13 de maio, o VII Congresso Científico e Mostra de Extensão do Campus Mossoró, abordando o tema do evento “Ciência, Tecnologia e Qualidade de Vida no Semiárido”.  Estiveram presentes ao momento, dirigentes do Campus Natal e Mossoró, docentes e universitários.

A Reitora Sâmela Gomes falou sobre a alegria de abrir mais um Congresso no Campus Mossoró. “É sempre uma honra e uma alegria. Uma honra porque o Campus Mossoró é um Campus vivo tal como acredito que deva ser a academia. A vivacidade de uma universidade se dá quando não só se teoriza, mas se pratica e se produz transformação. E é isto que eu vejo aqui cada vez que aqui me encontro”, elogiou a Reitora.

A filósofa abordou o tema central do evento perfazendo a trajetória da civilização humana e as mudanças ocorridas até os dias atuais em diversos aspectos. Questões como a violência, poder, educação e comunicação foram ressaltadas como essenciais para a reflexão da “Ciência, Tecnologia e Qualidade de Vida no Semiárido”.

Para Mosé, os avanços científicos e tecnológicos trouxeram muitos benefícios, mas ainda não garantiram a qualidade de vida esperada, pelo contrário, muitas atrocidades continuam a ocorrer e o motivo seria a falta de limites e valores das pessoas. “Falta consciência”, resumiu. A docente também abordou as crises tecnológica, ambiental, social e econômica, revelando o quanto o ser humano está suscetível a tais fatores.

A despeito do cenário de insegurança, Mosé mostrou como o surgimento de novos modelos, como a comunicação em rede e a virtualidade, podem contribuir para melhorar a vida em sociedade. A filósofa citou vários exemplos e afirmou que as mudanças positivas só acontecem quando as pessoas passam não só a exigir, mas quando aprendem a ser cidadãos. “Cidadania não é só exigir, ser cidadão é ter consciência de que você pode cuidar do outro”, explicou.

Ao final, a filósofa concluiu que os avanços científicos e tecnológicos continuam a acontecer, porém o que falta é vontade humana e política para transformar, sendo necessário que cada um faça a sua parte. “Tenho certeza de que cada um aqui tem ideias diferentes. Tenho certeza de que vocês são capazes disso!”, disse a docente, acrescentando ainda uma sugestão: “Quer contribuir? Não critique! Construa, elabore!”.

Galeria de Fotos – Clique Aqui!