Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

21 de Fevereiro de 2017 14:34

Grupo de pesquisa da UnP se destaca com publicações nas melhores revistas do Brasil e Europa

Alunas publicaram artigos em Portugal e têm pesquisas aprovadas para periódicos da Presidência da República e IDP.

Os acadêmicos da UnP se destacam na produção científica na área jurídica. Alunos que fazem parte do Grupo de Pesquisa em Ciências Criminais – GPCrim tiveram artigos aceitos para publicação em conceituadas revistas científicas do Brasil. A recém-formada em Direito, Camila Xavier, aguarda a publicação de artigo aprovado para a Revista Jurídica da Presidência da República, entre as mais bem avaliadas na área, classificada com nota máxima pela CAPES, A1.

Os feitos alcançados pelos alunos pesquisadores do GPCrim é ainda mais relevante. Somente nos anos de 2015 e 2016, os participantes fizeram mais de 55 apresentações de trabalhos em vários eventos científicos da área em todo o Brasil. Já o número de artigos publicados em revistas qualificadas com B1 e B2, nacionais e internacionais, somam mais de 13 publicações e outros dois estão aprovados aguardando divulgação.

Para o professor líder do Grupo, Fillipe Azevedo, o volume de publicações é considerado muito alto, tendo em vista que conta com apenas 15 alunos participantes, pesquisadores convidados e a vice-líder, a Doutora em Ciências Sociais Hilderline Câmara.

“Todos eles estão apresentando trabalhos em congressos de muito peso. Em paralelo a isso, tem as publicações de artigos. Para se ter uma ideia, programas de Doutorado e Mestrado necessitam manter publicações em revistas de Qualis B1 para manter o nível do curso elevado. Nossas alunas vêm publicando em revistas com essa qualidade ainda na graduação. É um feito realmente muito impressionante”, orgulha-se o professor líder do Grupo.

Natália Santos, aluna da 7ª série, comemora a publicação de artigo em uma conceituada Revista Jurídica de Portugal, da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Foi aprovada também para publicar no periódico do Instituto Brasiliense de Direito Público – IDP.

“Participar do Grupo de Pesquisa em Ciências Criminais é um grande incentivo aos estudos e enriquece nossa vida acadêmica, além de proporcionar crescimento pessoal, ajudando a enxergar como quero que seja minha vida profissional ao sair da graduação”, relata Natália Santos, que elaborou trabalhos quando ainda estava na 5ª série do curso.

O projeto de Grupo de pesquisa, criado pelo professor Me. Fillipe Azevedo, recebeu o Prêmio BEE, iniciativa da Rede Laureate, e foi implementado na Universidade em 2014, sendo certificado pelo CNPq. De lá para cá, alcançou um patamar consolidado: com apresentações de trabalhos em congressos, publicações de artigos em revistas, capítulos e livros publicados.