Acessibilidade
20 de Março de 2018 17:05

Grupo de terapia contra timidez está aberto na Roberto Freire

Podem participar pessoas entre 18 e 30 anos que sofrem com a ansiedade social

Falar diante de uma plateia, fazer uma pergunta em sala de aula, comer em um local público, ir ao banheiro e até assinar um documento. Essas são situações comuns do dia a dia que podem se tornar um tormento para quem sofre de ansiedade social – o termo técnico para a timidez. Para auxiliar as pessoas que percebem que esse jeito “quieto e caladão” de ser atrapalha suas atividades, um grupo de terapia está aberto no Serviço Integrado de Psicologia na Unidade Roberto Freire da UnP.

A atividade faz parte de uma pesquisa do psicólogo Diego Silveira Souza, doutorando em Neurociência pelo Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (ICe-UFRN), membro do laboratório de Endocrinologia Comportamental da neurocientista Bernardete Sousa. O pesquisador está selecionando voluntários que sofram de algum tipo de timidez. Para participar, os voluntários precisam estar na faixa etária entre 18 a 30 anos e ter disponibilidade de participar de terapias de grupo.

O Grupo de Enfrentamento à Timidez conta com 12 encontros semanais oferecendo um tratamento por meio da Terapia Cognitiva Comportamental (TCC), um tipo de psicoterapia. Com o acompanhamento do terapeuta e alunos de Psicologia da UnP que atuam como observadores, são realizados encontros para trabalhar treinamentos de habilidades sociais e reestruturação cognitiva. Em outros momentos, as dinâmicas de grupo simulam situações reais que envolvam medo de atuar em público.

“A timidez pode prejudicar em diversos contextos como na vida acadêmica, profissional e pessoal. As pessoas podem ter dificuldades como falar em público, se apresentar, fazer novos amigos, dar opinião ou cumprimentar as pessoas. Alguns têm tanta dificuldade que fogem dessas situações ou enfrentam com intenso sofrimento. Mas se a timidez está muito forte, ela pode ser tratada”, explica Diego Silveira Souza.

Os grupos iniciam os trabalhos em abril e as entrevistas serão feitas até o final de março. Para participar, os interessados podem ligar para o SIP, através do (84) 3216-8607, ou enviar um e-mail para enfrentandoatimidez@gmail.com.
Os contatos também podem ser feitos através de mensagem por WhatsApp para o (84) 99606-8905.