Acessibilidade
19 de Fevereiro de 2016 20:15

História de superação marca a Colação de Grau e os 25 anos do Curso de Direito da UnP

“A noite promete, aproveitem a emoção do momento”. Essas foram as palavras do Diretor da Escola do Direito, Fernando Cabral, ao dar início a cerimônia de colação de grau das 8 turmas do Campus Natal. No dia 16 de março mais de 190 alunos, das Unidades Floriano Peixoto e Roberto Freire, conquistaram seus diplomas de bacharelado em Direito. As mais de 2 mil pessoas ali presentes no início da noite não sabiam, mas de fato, o momento seria de muitas emoções.

Em 2016 o Curso de Direito da Universidade Potiguar completa 25 anos, 20 anos da primeira colação de grau e 20 anos da instalação do Núcleo de Prática Jurídica da Instituição. Motivo de orgulho para os docentes que compõem a Escola do Direto e para os mais 10 mil profissionais já graduados pelo Curso ao longo dos anos. Em torno desses números, várias histórias de vida já tiveram a Universidade como cenário, e uma delas, de enorme superação, marcou a colação de grau desse dia 16.

Cristian Emanuel Oliveira de Vasconcelos compreende bem o significado de superação e sonhos realizados. Nilda de Oliveira e Silva, faz parecer que não há limites para o companheirismo e esforço no alcance de um objetivo. Ambos com uma história linda, compartilhada com professores, funcionários e alunos da UnP durante os 5 anos em que estiveram dedicados ao sonho da carreira jurídica.

Ele, um filho, foi um dos estudantes mais dedicados do curso, com um Trabalho de Conclusão de Curso nota 10 e aprovado no Exame da Ordem antes mesmo de colar grau, é portador de deficiência visual e física, paralisia cerebral e dificuldades motoras. Ela, uma mãe, que ainda grávida recebeu a recomendação de um médico de não dar continuidade a gestação por oferecer riscos a sua vida, que não hesitou em prosseguir com seu sonho de ser mãe.

No dia 16, o Professor Filipe Gustavo Barbosa Maux, Paraninfo das turmas que colavam grau, foi o responsável por uma das homenagens da noite e dedicou suas palavras aos pais, em especial para Nilda de Oliveira. “A senhora ensinou diariamente a dimensão do amor, da palavra mãe, ensinou que não há limites para ajudar quem amamos.” E ali, diante de todos, contou brevemente a história que se repercute pela Universidade. Uma história aplaudida de pé por quem ouve.

Nilda de Oliveira decidiu por dar continuidade a sua gestação, decidiu por ter Cristian. Ele, uma criança com limitações físicas que aceitou suas deficiências conforme foi crescendo, recebeu orientação de um médico para dar atenção ao seu desenvolvimento intelectual, e assim o fez. Ainda criança, viu no Direito o seu sonho. Queria ser promotor desde os 6 anos de idade. Com o apoio da família e esforço, Cristian concluiu o Ensino Médio e quando foi a hora de dar o passo seguinte, não houve dúvidas, a família estava ali para apoiá-lo mais uma vez.

Residentes em Senhor do Bonfim, na Bahia, seus pais buscaram por uma Instituição de Ensino Superior que atendesse as suas necessidades. Por meio da internet, souberam da Universidade Potiguar, que possui o Núcleo de Apoio Psicopedagógico, com monitores e estrutura voltada à assistência de estudantes portadores de deficiências. A escolha foi feita, e mãe e filho vieram morar em Natal. O apoio da família foi mais longe, e Nilda se matriculou como aluna especial no Curso de Direito da UnP. Seu objetivo era auxiliar e acompanhar o filho no que ele precisasse, e assim o fez.

Durante 5 anos de Curso, Nilda e Cristian caminharam lado a lado em busca do aprendizado. Os dois superavam diariamente uma rotina de trabalho, estudos, fisioterapias, cansaços e várias outras dificuldades. Juntos construíram mais uma importante etapa para Cristian alcançar seu objetivo de ser promotor. No dia 16, Nilda e Cristian se formaram em Direito. Ele, seguindo seu sonho de criança. Ela, guiada pela dedicação e pelo mais puro amor de uma mãe por seu filho.

Além da homenagem do Professor Felipe Maux, a colação de grau do dia 16 contou com outras emoções. Fernando Cabral, Diretor da Escola do Direito, entregou o tão aguardado diploma de Bacharel em Direito para Cristian, e em meio ao som de aplausos e gritos de comemoração, falou “Cristian, você pode não ver, mas quero que você sinta a energia de todas essas pessoas que estão de pé aplaudindo o seu sucesso. Você conseguiu. Você é um aluno nota 10, do qual toda a Universidade se orgulha. A partir de hoje, todos que estão aqui vão levantar todos os dias sem reclamar, porque você deu o exemplo de que querer é fazer.” A emoção era evidente no olhar de todos os professores e colegas de turma, afinal, durante 10 semestres todos eles participaram do crescimento acadêmico do aluno dedicado, que ensinava a todos com sua simples presença o que é perseverança e força de vontade.

A noite foi de realizações. Não somente para Cristian e Nilda, protagonistas de uma história ímpar. Todos os concluintes, que após anos de estudos, esforços pessoais e de superação de suas próprias barreiras, alcançaram o diploma de bacharel em direito. Noite de orgulho para pais, amigos e familiares que estavam ali para presenciar a conclusão de mais uma etapa na vida de pessoas amadas.

A emoção ainda ficou por conta das homenagens aos 10 alunos que tiveram as melhores notas no ENADE, aos professores que participam do Curso desde o seu primeiro ano, a equipe do Núcleo de Prática Jurídica por todo o serviço prestado à comunidade através dos mais de 90 mil atendimentos, e por fim, aos mais de 70% dos formados que já haviam sido aprovados no Exame da OAB antes mesmo daquele dia. Como prometido, a noite foi de fato para ser lembrada, por cada emoção.