Acessibilidade
13 de Janeiro de 2017 17:04

Jogo de tabuleiro criado por aluna de Psicologia traz método inovador para tratamento psicológico

O My Path já está sendo aplicado em sessões com pacientes e já faz sucesso entre profissionais por todo o Brasil.

A Psicologia sendo inovada por uma aluna da Universidade Potiguar. No estudo dos fenômenos psíquicos e de comportamento do ser humano, Camila Rabuske, aluna do curso de Psicologia, descobriu que poderia ir além e proporcionar uma forma mais dinâmica e inovadora no processo de autoconhecimento, desenvolvendo um jogo de tabuleiro para os pacientes pensarem, e assim, provocar descobertas, ajudando no tratamento psicológico.

Criado em 2015 como um protótipo, quando ainda estava cursando a 4ª série do Curso, e lançado em janeiro de 2016, o My Path é uma ferramenta que ajuda: tanto ao paciente, como também ao profissional na condução do tratamento. Desde o lançamento, a aluna, que também atua como choach, se dedica a divulgar o produto, por meio de palestras, cursos e eventos em várias partes do país, além de participação em programas de televisão e canais na internet.

O jogo pode ser usado em sessões por psicólogo, por professores e também por profissionais que utilizam a ferramenta de desenvolvimento pessoal e na carreira, o coaching. As ferramentas, desenvolvidas em duas faixas etárias (adultos e infantil), podem ser usadas também como jogos de autoconhecimento.

O produto já está sendo utilizado por coaches e profissionais da Psicologia em todo o Brasil (veja vídeo aqui) O objetivo nesse processo é deixar o coachee (cliente ou paciente) mais tranquilo ao responder perguntas mais profundas no decorrer das sessões.

A aluna da 7ª série do Curso, que já participou de propaganda como destaque pela inovação –promovido por uma empresa nacional, está alcançando voos ainda mais altos. O jogo já faz sucesso fora do país e os planos e expandir e outra língua os jogos na versão infantil e adulta. “Eu montei um grupo chamado de Realizadores de Sonhos com pessoas de vários lugares do Brasil. Com o tempo começou a surgir pessoas do Japão. Tem um brasileiro que mora lá que comprou o primeiro My Path e gostou. Ele indicou e agora está pedindo mais por que tem mais gente interessada”, relatou Camila.