Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

27 de julho de 2015 14:26

Mercado de trabalho busca profissionais com conhecimentos tecnológicos

Ser preparado para um mundo conectado deixou de ser exclusividade para quem deseja seguir carreira na área da Tecnologia. Profissionais do Direito, Saúde, Educação e Gestão já utilizam recursos tecnológicos como meios de aprimoramento de funções, e quanto antes o estudante começar a se familiarizar com essa realidade, menos dificuldades irá encontrar no futuro. É pensando nisso que universidades do mundo todo já utilizam uma metodologia ativa e virtual, formando alunos através das mídias on-line.

Atualmente a manipulação de equipamentos, aplicativos e softwares acontece de forma intuitiva, isso porque toda uma geração cresceu acompanhando as evoluções das mídias tecnológicas, e estar conectado à internet é tão básico quanto o uso do rádio nos anos 80. Contudo, para quem não cresceu junto à internet, e até bem pouco tempo atrás achava que não precisava dessas “modernidades”, hoje se vê diante da necessidade profissional de acompanhar processos jurídicos on-line, participar de reuniões através de calls e vídeo-chamadas, ou compartilhar e editar planilhas ou imagens na nuvem, por meio de smartphones.

Sim, a realidade das profissões acompanhou a evolução tecnológica, e a formação acadêmica também tem que acompanhar. Graduações não limitam mais o contato com a tecnologia a uma horinha de aula em laboratório de informática. Hoje, em todo o mundo, as aulas são transmitidas através do computador ou outro meio digital, você estando em um ambiente acadêmico, na sua casa ou em algum outro lugar durante uma viagem a trabalho, por exemplo. O espaço deixou de ser fator limitante para a educação, e essa não é a única vantagem da Educação a Distância.

De acordo com a Professora da Universidade Potiguar, Liana Maia, que leciona disciplinas na área do Direito de forma presencial e a distância, “há uma falsa impressão de que cursos ou disciplinas on-line são fáceis por não haver a cobrança pessoal de um professor, mas isso não existe. O ensino EaD exige que o aluno seja responsável na organização do seu tempo, pois há prazos mais rígidos a cumprir, além da exigência de participação em fóruns, chat, videoconferências ou wiki. O aluno tem acesso ao conteúdo, pode tirar dúvidas e debater com professores e outros colegas da turma, mas tudo depende do quanto ele é organizado e proativo, qualidades que devem ser exercitadas por quem quer um lugar de destaque no mercado de trabalho”.

Na metodologia EaD, as universidades preparam o aluno para a nova era do mercado de trabalho, que exige profissionais mais capacitados em recursos tecnológicos e alinhados às novas expectativas dos empregadores. Mas não é só isso. Por também tratar-se de uma metodologia ativa, o EaD estimula o aluno a pensar e agir por si, ser independente em relação à pesquisa e organização pessoal.

Além da aprendizagem dos conteúdos tradicionais, através do EaD os alunos se familiarizam simultaneamente ao uso da tecnologia, o que de acordo com Liana é necessário para o exercício de profissões, por exemplo, na área jurídica. “Hoje em dia não há mais a possibilidade de abrir um processo físico, todo o manuseio de um processo agora acontece por meio de sistemas on-line, por isso, habilidades com as ferramentas tecnológicas são exigidas cada vez mais pelo mercado”, disse a Professora.

Em sala de aula ou virtualmente, a Professora Liana Maia percebe que os alunos têm a percepção de que dominam as tecnologias, quando na verdade estão habituados apenas às redes sociais. “O aluno, e futuro profissional, tem que ir além do Facebook quando o assunto é tecnologia. Ele tem que saber criar produtos on-line, conhecer e compreender as utilidades das ferramentas disponíveis na internet, aprender a utilizar navegadores de busca e anexar documentos na nuvem são alguns exemplos do que eles acham que sabem, mas que precisam se aprimorar”.

Aluna do Curso de Direito da Universidade Potiguar, em Mossoró, Vitória Veríssimo teve seu primeiro contato com a metodologia EaD no último semestre, ao cursar a disciplina on-line Tecnologias na Formação Profissional. Para ela, a experiência foi bastante positiva, “percebi que podemos aprender no dia-a-dia, não só durante a aula na universidade. Hoje em dia tudo é virtual e nessa disciplina aprendi as possibilidades que tenho nesse universo, como fazer um currículo ou uma agenda de compromissos on-line, coisas essenciais para o profissional na atualidade. A metodologia não deixa a desejar, a professora é muito presente e me senti estimulada a estudar mais, pois tive muitas referências sobre o conteúdo durante as aulas e fóruns”.

Nesse contexto, a UnP já tem avançado a passos largos. As disciplinas on-line já são uma realidade entre os alunos e, neste ano, a experiência virtual tende a melhorar significativamente com a implantação do Blackboard, uma nova plataforma de aprendizagem que oferecerá recursos inovadores e uma tecnologia alinhada com as expectativas profissionais.