Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

28 de Março de 2018 11:38

Pesquisa de ex-alunos de Engenharia Civil é apresentada em Portugal

Uma pesquisa sobre o uso sustentável de resíduos da construção civil para pavimentação, realizada por dois ex-alunos de Engenharia Civil, foi apresentada na Universidade de Coimbra, em Portugal. O artigo de Adriana Dominique Sá e Sérgio Ricardo Costa Neto foi aprovado para o 3º Congresso Luso-Brasileiro de Materiais de Construção Sustentáveis, realizado entre os dias 14 e 16 de fevereiro.

O trabalho é intitulado “Desempenho da Pavimentação Intertravada: Análise da Execução da Base e Sub-base com Agregado Reciclado” avaliou o uso dos Resíduos de Construção e Demolição (RCD) de base para pavimentos flexíveis de tráfego pouco intenso (intertravados) como, por exemplo, calçadas, estacionamentos ou vias de condomínios. Os resultados mostraram que a utilização desse material – oriundo da reciclagem de restos de tijolos, brita e concreto – consegue deixar o solo (substrato) ainda mais resistente e estável do que a matéria-prima original.

“Trata-se de um material que ainda contém algumas partes de concreto. Então, quando ele é colocado de uma maneira uniforme e entra em contato com a água, ele cria uma resistência maior e consegue absorver bem os líquidos”, explica Sérgio. “Por ser um material mais não plástico do que o da matéria-prima, ele transforma o solo em sua mistura tornado-o também não plástico. Isso significa dizer que se o solo estiver saturado (com água e lama, por exemplo), ele não vai afundar”, acrescenta Adriana.

A ideia do estudo surgiu após a experiência de Sérgio em uma das empresas de Natal que realiza o recolhimento e reciclagem do RCD, juntamente com uma proposta de trabalho de conclusão da disciplina de Viárias II. Para realizar o estudo, eles utilizaram outro projeto já feito em Salvador (BA), chamado Entulho Bom.

Adriana foi a responsável por apresentar o estudo em Portugal durante uma explanação de 15 minutos. A ideia da dupla, agora, é aplicar e verificar na prática o uso do RCD no Rio Grande do Norte, analisando o produto local, um trabalho que, segundo eles, ainda é pioneiro.