Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

27 de setembro de 2019 11:54

Pesquisa estuda ansiedade, depressão e estresse em médicos do RN

Durante todo o mês de setembro foram realizadas diversas campanhas, ações e palestras referente à Campanha do Setembro Amarelo em todo o país referente a prevenção ao suicídio que envolveram diversos profissionais da área da saúde. Em vista disso, você já parou para pensar como anda a saúde mental e emocional desses profissionais? 

Em Natal, uma pesquisa realizada recentemente por duas alunas de Mestrado em Psicologia da Universidade Potiguar (UnP), revelou que a classe médica tem sido uma categoria bastante atingida; devido ao sucateamento material dos ambientes de saúde, baixo investimento e aplicabilidade econômica na qualidade dos serviços e desvalorização salarial.  

Na Pesquisa, observou-se que a ansiedade, depressão e estresse, se relacionam positivamente, com essas variáveis, também, relacionado com a ideação suicida. Quanto maior o percentual no transtorno emocional (ansiedade, depressão e estresse) maior o percentual na ideação suicida.  

Apoio
De acordo com o professor de Mestrado da 
UnP e orientador da pesquisa, Nilton Formiga, este transtorno ocorre com mais frequência na classe médica do setor público, em profissionais com mais de três vínculos e aqueles profissionais mais novos (5 a 10 anos) de profissão. “A pesquisa pretende-se verificar a relação entre ansiedade, depressão e estresse e o suicídio, bem como, quais os fatores de proteção que os médicos utilizam para se manterem saudáveis, neste caso, avaliou-se o capital psicológico positivo no trabalho e a espiritualidade no trabalho para o médico do Rio Grande do Norte”, explica.  

Ainda de acordo com o professor, observou-se também que médicos que investem em si, seja a partir da capital de psicologia positiva e espiritualidade no trabalho, conseguem desenvolver uma espécie de “bolsa de valores” emocional relativa à esperança, otimismo, autoeficácia e envolvimento sadio com o trabalho os que apresentam menor percentual na depressão, ansiedade e estresse e ideação suicida. 

Números
A pesquisa foi realizada
no primeiro semestre 2019, originada de da dissertação de mestrado em Psicologia das alunas Wanusia do Nascimento Costa e Maria Aletsandra Pereira; sob a supervisão do Professor de Mestrado em Psicologia, Nilton Formiga.  

Participaram da pesquisa 410 médicos no Estado do Rio Grande do Norte, homens e mulheres, em distintas especializações e com mais de um ano de formação na profissão, de setor público e privado, participaram da pesquisa. Essa proposta corresponde a proposta da Organização Mundial da Saúde (OMS), em relação a motivação e manutenção de um bom estado de saúde ao trabalhador, promovendo condições de bem-estar físico, mental e social.