Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

6 de dezembro de 2019 17:34

Pesquisa no RN isola parasita que causa o calazar

Resultado pode ampliar as possibilidades de exames mais precisos para diagnóstico da doença, reduzindo o sacrifício de animais com suspeita de contaminação

Uma pesquisa no Rio Grande do Norte – fruto de um Trabalho de Conclusão de Curso – pode ampliar as possibilidades de diagnóstico preciso do calazar em cães. A doença, também conhecida como Leishmaniose Visceral, acomete humanos e animais e, nesses últimos, em boa parte dos casos leva ao sacrifício.

O teste confirmatório foi feito pela aluna concluinte de Medicina Veterinária, Luísa Momo Duarte, através do isolamento do protozoário que causa a doença. O trabalho foi desenvolvido no Centro de Saúde Veterinária (CSV) da UnP, integrante de rede Laureate. Foram examinados cães que deram entrada na unidade entre os meses de outubro e novembro de 2019.

Avanços

O calazar é uma enfermidade preocupante pois tem um diagnóstico difícil. De acordo com o Prof. Vicente Toscano, orientador da pesquisa, atualmente, o Ministério da Saúde preconiza a realização de duas sorologias. Porém, esses exames podem ser inconclusivos pois diversos fatores podem influenciar no resultado, como o status imunológico do animal.

“Com a pesquisa, foi criado um teste padrão ouro que não deixa nenhuma dúvida sobre o diagnóstico do animal. Futuramente, esse exame pode ser incluído na rotina, trazendo ainda mais confiabilidade aos serviços do CSV”, explica o docente. A pesquisa continuará nos próximos semestres com outros alunos.

Sobre o calazar

O calazar é uma zoonose que acomete cães e humanos. Natal é considerada uma área endêmica, com um alto índice de casos em animais, especialmente, em bairros periféricos. Ela é transmitida pelo mosquito palha e, por isso, não é possível o contágio através de contato com os cachorros doentes.

Embora grave, a doença pode ser tratada em humanos. Até recentemente, o sacrifício do animal diagnosticado era a recomendação dos órgãos de saúde, mas medicamentos modernos ajudam no tratamento de cães, porém, eles precisarão ser acompanhados por toda a vida.