Acessibilidade

Central do Candidato: (84) 4020-7890 / Central do Aluno: (84) 3227-1234 +

+

22 de março de 2019 10:45

Pesquisadores do PPGB estudam método para descontaminar água

Se aplicados em larga escala, tratamento poderá melhorar a qualidade das águas contaminadas por nitrato

Pesquisadores potiguares estão desenvolvendo um método para a recuperação de águas contaminadas. Caso venham a ser aplicados em larga escala, os resultados satisfatórios poderão melhorar a qualidade de vida da população norte-rio-grandense, em especial, a parcela abastecida por águas subterrâneas. Um estudo feito em 19 bairros de Natal mostrou níveis variados de contaminantes. Entre eles, os índices de nitrato são os mais expressivos e apresentaram valores acima do limite máximo permitido.

O trabalho é conduzido pelo Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da UnP que, há dois anos, vem desenvolvendo o projeto “Águas Limpas”. Fruto da pesquisa de mestrado da estudante Sarah Martins dos Reis, que se encontra em fase final, os resultados foram apresentados em novembro de 2018, no Congresso Internacional de Biotecnologia (7th Brazilian Biotechnology Congress).

Foram realizadas análises de amostras provenientes do Aquífero Dunas-Barreiras, que abastece os seguintes bairros da capital potiguar: Lagoa Azul, Pajuçara, Nordeste, Quintas, Alecrim, Bom Pastor, Dix-Sept Rosado, Lagoa Seca, Nazaré, Felipe Camarão, Lagoa Nova, Nova Descoberta, Guarapes, Cidade Nova, Candelária, Pitimbu, Capim Macio, Neópolis e Ponta Negra.

Após coletas, os cientistas avaliaram de forma físico-química elementos como: turbidez, sólidos totais e condutividade elétrica, medida de pH e quantificação dos índices de cloreto e nitrato. Este último, é um dos mais expressivos apresentando resultados acima de 10 mg/L, limite permitido. A descontaminação dos reservatórios é difícil tendo em vista que para que ocorra a desnitrificação são necessárias condições ambientais raras em águas subterrâneas.

No entanto, a pesquisa está desenvolvendo um método que tornará esse processo de recuperação possível. “As amostras coletadas estão sendo submetidas a tratamentos biotecnológicos ecocompatíveis, com resultados satisfatórios para descontaminação de nitrato e ação bactericida”, explica a Profa. Dra. Maria Aparecida Maciel, idealizadora do projeto.

Além dela e da mestranda, participam da pesquisa outros professores pesquisadores da Pós-Graduação, Graduação, Técnicos e estudantes de Iniciação Científica.