Acessibilidade
20 de Abril de 2015 15:26

Pioneiro no RN, curso de Relações Internacionais recebe conceito 4 do MEC

Ser reconhecido entre os melhores do país é motivo de comemoração e os alunos e professores de Relações Internacionais começaram o ano com o pé direito. Pioneiro em todo Rio Grande do Norte, o Curso recebeu em abril o conceito 4 do MEC. A Comissão Avaliadora esteve em Natal analisando a estrutura oferecida aos estudantes, a organização pedagógica e o corpo docente.

Integrante da Escola de Gestão e Negócios, o Curso possui uma intensa atividade acadêmica e desde abril de 2014 dispõe do Centro de Estudos Internacionais, que concentra todas as pesquisas e programas de extensão. “Atualmente possuímos mais de nove pesquisas em andamento, dois projetos culturais e um projeto de ação social”, destacou o Coordenador do Curso, professor Otávio Correia.

Além do corpo docente formado por Mestres e Doutores com ampla experiência acadêmica, outro ponto bem avaliado pelo MEC foi a estrutura curricular, apontado entre as matrizes mais completas do Brasil, sendo chamada de inovadora. “Nosso aluno ele tem contato com as mais modernas teorias das Relações Internacionais, em conceito e análise. São cases trabalhados diariamente em sala de aula. O que isso proporciona? Uma inserção no mercado rápida e eficaz. Exemplo disso é a colocação de ex-alunos nossos hoje na China, Portugal, São Paulo, e até mesmo em postos de chefias da área em Natal”, detalhou o Coordenador.

Iniciando um novo ciclo em 2015, hoje o curso possui oferta em dois turnos no Campus Natal, manhã e noite, e prepara o futuro internacionalista para atuar na negociação internacional e empreendedorismo global. Além disso, mantém convênios com outros setores da UnP. “Estamos com uma nova parceria com o Empreende, onde realizaremos uma pesquisa global de empreendedorismo. Também contamos com um estreitamento com o Mestrado em Administração da própria UnP e o retorno de antigos parceiros, como o Centro de Estudos Hannah Arendt e com o Centro de Estratégia e Inteligência em Relações Internacionais”, disse Otávio Correia.