Acessibilidade

Central de Atendimento: (84) 4020-7890

12 de dezembro de 2011 10:24

Professora levará pesquisa sobre Twitter a ALAIC 2012, em Montevidéu

“A nova subjetividade que emerge do Twitter”, tema de pesquisa da jornalista e professora Stella Galvão, foi aprovada para apresentação no XI Congreso da ALAIC – Asociación Latinoamericana de Investigadores de la Comunicación, que será realizado em maio de 2012, em Montevidéu. O tema será apresentado no Grupo de Interesses (GI) em Comunicación Digital, Redes y Procesos, que reúne outros 67 trabalhos de universidades de todo o continente.

Stella, professora dos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda e de Cinema da UnP, é pesquisadora associada à ALAIC e participou do último congresso bianual, realizado em 2010, em Bogotá. Também participou, como convidada, do VI Seminário Internacional Latino-americano de Pesquisa da Comunicação, realizado em São Paulo nos dias 29 e 30 de julho deste ano.

As repercussões das novas tecnologias da informação e comunicação têm pautado as pesquisas desenvolvidas pela professora, apresentadas este ano em cinco eventos de comunicação pelo país. Um ponto chave nos estudos voltados às implicações da cultura digital ou cibercultura, explica Stella, é a constatação de que não se tratam mais de simples ferramentas a serem aplicadas, mas de processos nos quais os usuários podem assumir o controle da tecnologia, redefinindo e reformulando-a enquanto exercitam um modelo de subjetividade digitalmente determinada.

No Twitter, ferramenta por excelência desse processo, cada ‘dono’ de uma conta ou avatar, veicula ideias e fatos, comenta-os, presta culto a si, a terceiros, a marcas etc. Emite, enfim, algo próximo de um exercício do livre pensar marcado, em geral, por um intenso processo interacional, como afirma Stella: “As práticas ligadas às novas tecnologias da comunicação têm sido marcadas pelo emergir de uma nova subjetividade: Talhada pela instantaneidade da informação, pela reelaboração e exposição de toda uma cadeia que emite, recebe, digere, reinterpreta, repassa, repercute.”

Assim, tomando por base dois perfis de avatares, a pesquisadora analisa um sistema de comunicação virtual que parte de regras rígidas de forma e pode chegar ao completo descontrole no teor e circulação dos discursos. O trabalho confronta autores que trabalham as mediações subjetivas sob a perspectiva da Análise do Discurso. De Backhtin a Deleuze, deste a Pierre Lévy e vários outros pensadores acerca desta nova configuração discursiva para além das possibilidades formais.