Acessibilidade
12 de junho de 2013 09:54

Projeto pioneiro une academia e serviços de atendimento a transplantados na UnP

No último dia 04 de junho a Universidade Potiguar e o Instituto do Bem formalizaram o início de sua parceria na cerimônia de assinatura do contrato de parceria, que permitirá o atendimento prévio e posterior de pacientes transplantados, na Escola da Saúde da UnP. O programa conta com a participação de todas as graduações ligadas à área, que fornecerão assistência multidisciplinar a estes pacientes, a fim de obter melhores resultados para a preparação cirúrgica e na adaptação ao novo órgão.

A proposta tem caráter pioneiro no Brasil por unir pela primeira vez os esforços dos serviços de atendimento à população e da academia para a produção de conhecimento e para a realização de uma assistência completa a estes pacientes.

O evento contou com a participação de diversas autoridades ligadas à saúde no estado, incluindo os Secretários Municipal e Estadual de Saúde. Hoje o Rio Grande do Norte possui uma demanda de acompanhamento de mais de 300 pacientes transplantados, em sua maioria renais, mas também de casos cardíacos, hepáticos e de córnea, estes, em tratamento após realizar cirurgia em outros estados. A parceria pretende concretizar 2.000 atendimentos ao ano e diminuir o tempo de espera nas filas de transplantes dando apoio ao trabalho já desenvolvido por hospitais norte-rio-grandenses.

Um dos destaques trazidos pela proposta é a implantação do prontuário eletrônico, que possibilita a visualização em equipe da evolução do paciente por todos os profissionais envolvidos. A rede de saúde terá a sua disposição toda a estrutura de ponta que a Universidade Potiguar possui para o ensino e a prática, assim como o apoio de professores e alunos da instituição, que além de oferecer tratamento também irão produzir pesquisas a respeito do tema, contribuindo para o aparecimento de novas soluções para as problemáticas da área. 

As 13 Graduações da Escola da Saúde da UnP prestarão serviços à população, sendo que muitos já estão trabalhando no projeto como os cursos de Enfermagem, Medicina, Fisioterapia, Serviço Social, Educação Física, Odontologia e Terapia Ocupacional. A interdisciplinaridade é um dos grandes diferenciais da proposta, que pela primeira vez alia o trabalho conjunto de diferentes campos de ensino da universidade para o tratamento e a pesquisa dentro da questão do transplante.

 

“Nos sentimos muito honrados em sermos escolhidos pelo Instituto do Bem como parceiro neste projeto e felizes pela oportunidade de ajudar o estado a melhorar o atendimento aos seus transplantados e de oferecer aos nossos alunos uma formação diferenciada neste campo, tanto quanto ao contato com os pacientes, como para as pesquisas que serão concretizadas”, afirmou a Diretora da Escola da Saúde da UnP, Professora Giselle Gasparino.