Acessibilidade

Central de Atendimento: (84) 4020-7890

16 de outubro de 2017 09:48

Projeto Quintal Urbano participará de Encontro em Brasília

O evento acontecerá entre os dias 19 e 21 de outubro e iniciativa concorrerá com projetos em nível nacional

O Projeto Social Quintal Urbano, idealizado pela aluna Concluinte do Curso de Arquitetura e Urbanismo, Fernanda Rabelo, foi aprovado para Mostra de Projeto do 2º Encontro de Urbanismo Colaborativo. O evento visa colaboração entre diferentes atores urbanos na construção de cidades inclusivas, saudáveis e resilientes por meio de propostas realizadas com participação social. O encontro acontecerá em Brasília entre os dias 19 e 21 de outubro e contará com projeto de diversos Estados do país, o projeto ganhador receberá uma premiação.

Inicialmente, a estudante Fernanda Rabelo, pensou no projeto apenas como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), orientada pelo Prof. Thiago Brito, criando um coletivo que os integrantes trabalhassem com intervenções efêmeras e oficinas participativas no espaço público como forma de arte. Resgatando e ressignificando esses espaços, movimentando dentro do contexto contemporâneo, estimulando as relações interpessoais e afetivas-espaciais da comunidade local.

No início do ano, a iniciativa começou a conquistar visibilidade, sendo aprovado como projeto de pesquisa pela Pró-Reitoria Acadêmica (ProAcad), diversas pessoas se juntaram ao trabalho. Atualmente, o projeto acontece em parceria com o Programa de Educação Tutorial (PET) de Arquitetura e Urbanismo, com 6 integrantes. Nas ações, a participação dos moradores do local, professores e alunos voluntários é intensa.

Nas praças, foram realizadas oficinas participativas, workshops, intervenções artísticas, mutirões de limpeza entre outras ações. No momento, o Quintal Urbano está trabalhando com duas praças específicas que é a Praça da Pista de Bicicross e a Praça Desembargador Licurgo Ferreira Nunes, ambas em Ponta Negra. Ainda no processo de escolher o tema para o TCC a idealizadora pensava: “Quero trabalhar nas praças que eu tenho uma relação afetiva muito forte. Na região que eu moro, desde pequena sempre brinquei com esses espaços e minha infância toda usufrui deles. Queria trazer essas lembranças afetivas para o meu trabalho”.

Ao longo do trabalho, o projeto que acabou assumindo outras dimensões. De acordo com a aluna, a ideia que futuramente o projeto se expanda para outros espaços públicos da cidade e não fique somente em um lugar. “No momento estamos terminando esse ciclo nessas duas praças e depois iremos procurar um novo lugar para poder fazer esse processo de ativação”, declara.

O objetivo principal do projeto é atender a comunidade de forma prática: “Nada melhor do que terminar o ciclo acadêmico colocando todo o aprendizado que eu tive durante esses 5 anos na comunidade em que vivo. Está sendo muito prazeroso e gratificante ver que o projeto está ganhando cada vez mais adeptos, pessoas envolvidas pela proposta e que há um potencial grande para se transformar em um projeto muito maior”, conclui.