Acessibilidade
28 de Março de 2018 15:04

Projeto Sem Fronteiras presta atendimento a refugiados em Natal

A união de alunos de cursos das Escolas de Gestão e Negócios, Saúde e Educação acolhe oferece serviços a refugiados

Os alunos dos cursos de Odontologia e Relações Internacionais (RI) estão aqui para o bem. Eles se engajaram em ação de auxílio a refugiados no projeto Sem Fronteiras, idealizado e liderado pelas as alunas de RI, Maria Alice Cruz e Gilce Azevedo. A ação inaugural em 2018 aconteceu no 26 de março, no Centro Integrado de Saúde da UnP (CIS), com a acolhida dos migrantes e realização de exames clínicos e físicos – intra e extra oral.

Desde fevereiro foram realizados encontros com os estudantes dos cursos de Relações Internacionais, Medicina e Odontologia envolvidos no projeto para traçar as ações e atividades a serem desenvolvidas. Pelos alunos de RI foram apresentadas as informações sobre os países e culturas dos estrangeiros, condições refúgio e imigração de acordo com a legislação brasileira e definições do Direito Internacional.

Os refugiados e migrantes que fazem parte do projeto são considerados uma minoria na nossa sociedade. A maior parte deles estão na Grande Natal e vêm de países como Egito, Gana, Marrocos, Níger, Síria, Venezuela – entre outros.

Ao final dos atendimentos eles receberam orientações de higiene bucal pelos estudantes de Odontologia. Cada um dos atendidos teve um plano de atendimentos elaborado para todo o ano de 2018, a ser oferecido pelos alunos no CIS. Fazem parte do projeto, ainda, alunos de Letras, que farão parte das próximas atividades do grupo oferecendo aulas de Português com o intuito de ajudar na melhoria de assimilação do idioma, umas das barreiras relatadas pela maioria dos refugiados.

Surgido em 2017, por meio de iniciativas das alunas Maria Alice Cruz e Gilce Azevedo, e o apoio da coordenação do curso, o Projeto Sem Fronteiras tem como meta três objetivos gerais: garantir o acesso a serviços de saúde, a melhoria e aprofundamento dos refugiados na língua portuguesa; permitir que os estudantes vivenciem a prática dos seus cursos; além de sensibilizar e conscientizar a sociedade local sobre a necessidade de políticas públicas para os migrantes.

As atividades ganham impulsos e maior abrangência com a união, além da Escola de Gestão e Negócios (RI), os cursos de Medicina e Odontologia, por meio do CIS e Escola da Saúde, e Educação, com as ações dos alunos de Letras.

Maria Alice Cruz, aluna de RI, descreve a sensação de poder realizar essa ação que alcança pessoas que necessitam de apoio em uma fase difícil de recomeço. “Foi emocionante ver a reação deles, com olhos brilhando ao reconhecer as músicas e bandeiras de seu país dispostas na sala de atendimento”, concluiu.