Acessibilidade

Central de Atendimento: (84) 4020-7890

1 de Abril de 2014 16:46

Trabalho aborda conscientização corporal contra bullying na Educação Física

Crianças participam de conscientização corporal

Professores da Universidade Potiguar apresentarão pesquisa com o tema “O Bullying na Educação Física Escolar: Uma Abordagem do Conteúdo, Lutas na Perspectiva da Consciência Corporal” durante o XV Congresso de Ciência do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, que ocorrerá de 13 a 16 de Abril em Recife/PE.

 O trabalho é um recorte da dissertação de mestrado do professor de Educação Física Joadson Martins, “Consciência Corporal e Educação Física Escolar: Possibilidades de Intervenção”, apresentado em 2011 no Programa de Pós-Graduação de Educação da UFRN. A pesquisa conta com a participação da professora Milena Barbosa Câmara também da Educação Física UnP; Ana Santana Fernandes Martins, Pedagoga da Rede Municipal de Ensino, e Raphaelly Sousa Bezerra, Professora de Artes da Rede Municipal de Ensino.

De acordo com o professor Joadson, o bullying na Educação Física é mais comum do que se imagina. “Sempre houve. E uma das ideias do trabalho é tentar desmistificar este tema e fazer com que os alunos compreendam o quão errado é discriminar um colega por qualquer motivo que seja”, explicou.  As principais formas de  bullying, segundo o docente, são “as ofensas seja pelos aspectos físicos, raciais ou até mesmo pela capacidade intelectual diminuída”. Neste contexto, a abordagem de metodologias que abarquem consciência corporal, como as atividades de lutas, é uma forma de diminuir a violência do bullying.

“Fazendo parte da cultura corporal de movimento, as lutas representam hoje um meio importante no processo educacional e um conjunto de conteúdos altamente valiosos a serem trabalhados na Educação Física. Observamos em nossa prática docente que as atividades propostas, partindo do princípio das lutas estimulam a não violência em âmbito escolar”, observou o Professor em sua dissertação.

O trabalho consistiu em realizar e analisar aulas na Escola Municipal Jornalista Erivam França, com estratégias de ensino com momentos distintos: lutas tematizando a consciência corporal; atividades como entrevistas, exibição de filmes, realização de dinâmicas, diálogos e jogos corporais, com a intenção de fomentar uma maior reflexão sobre o corpo e as brigas na escola.

“No processo de operacionalização das aulas no Ensino Fundamental conseguimos fazer com que fluíssem de tal forma que os alunos solicitavam para que déssemos mais aulas nesta linha de ação, o que nos trouxe um sentimento de um trabalho bem feito, pois qualquer que seja a avaliação educacional que se deva passar, nenhuma delas é mais importante que o sorriso no rosto de uma criança ao término de uma aula de Educação Física”, concluiu o professor.

Clique Aqui para acessar a dissertação completa!