Acessibilidade
18 de julho de 2018 18:34

Tratamento natural contra Alzheimer é pesquisado na Pós-Graduação em Biotecnologia

Professores do PPGB da Universidade Potiguar colaborarão com pesquisa realizada em parceria com UERN e Inpa, da Amazônia

O uso de novos fármacos de origem natural para o tratamento de doenças neurodegenerativas é tema de um projeto feito em forma de parceria entre pesquisadores do Rio Grande do Norte e da Amazônia. A ideia é desenvolver, nos próximos dois anos, nanocápsulas contendo o óleo da Siparuna guianensis Aublet (uma planta medicinal brasileira) capaz de atuar sobre várias rotas do desenvolvimento e evolução do Alzheimer.

O trabalho será desenvolvido em conjunto entre a Universidade Potiguar, integrante da rede Laureate, a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) e o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). Intitulado “Desenvolvimento de nanocápsulas poliméricas biodegradáveis contendo óleo essencial de Siparuna guianensis e sua aplicação neuroprotetora contra o Alzheimer”, o projeto foi aprovado para execução através do Edital nº 04/2018 do Programa Amazonas Estratégico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

Atualmente, o Alzheimer representa um crescente problema de saúde pública que tem gerado graves quadros de morbidade e mortalidade nos últimos anos. Este fato ocorre devido grande número de casos diagnosticados em consequência do aumento da expectativa de vida da população e à baixa especificidade terapêutica dos medicamentos atualmente disponíveis no mercado.

“O projeto aprovado visa desenvolver um sistema nanotecnológico multifuncional biodegradável de caráter inovador, formadas por um núcleo de óleo bioativo de Siparuna guianensis Aublet”, explica a Coordenadora Stricto Sensu da Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGB) da UnP, a Profa. Dra. Amália Rêgo. A Siparuna é uma árvore nativa brasileira e encontrada em diversas regiões, sendo conhecida por vários nomes populares como: Negramina, Limão bravo, Limão do mato, Capitiú, Folha santa, Marinheiro, Mata cachorro, Catingoso, Erva santa, Mescla de cheiro, Catingueira de paca e Fedegoso.

As instituições envolvidas na pesquisa dispõem de uma infraestrutura adequada e laboratórios especializados em Nanotecnologia e Neurologia, os quais são necessários para o cumprimento de cada etapa do projeto. A equipe técnica é composta pelo coordenador Prof. Dr. Wanderli Pedro Tadei, pesquisador titular do Inpa, coordenador do Laboratório de Malária e Dengue. O Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da Universidade Potiguar prestará colaboração no projeto através da participação do Prof. Dr. Francisco Humberto Xavier Júnior, Profa. Dra. Maria Aparecida Medeiros Maciel e Prof. Dr. Fausto Pierdoná Guzen (UnP e UERN). O PPGB UnP, atualmente, é composto por um Mestrado Profissional em Biotecnologia e um Mestrado Acadêmico em Biotecnologia da Saúde.

Este projeto culminará com a produção de uma tese de doutorado pelo Programa Multi-Institucional de Pós-Graduação em Biotecnologia da Universidade Federal do Amazonas, do aluno Me. Regildo Max Gomes Martins, sob orientação do Prof. Dr. Wanderli Pedro Tadei e co-orientação do Prof. Dr. Francisco Humberto Xavier Júnior.